Marcadores

quarta-feira, julho 31, 2013

Biografia(Alexandre Borges)


Alexandre Borges
Alexandre Borges Corrêa (Santos, 23 de fevereiro de 1966) é um ator brasileiro.
 

É casado desde 1993 com a atriz Júlia Lemmertz, tendo conhecido-a em 1991, durante as gravações de Mil e Uma.  Com ela teve um filho nascido em 2000, o menino Miguel. É padrasto de Luíza, filha do primeiro casamento de Júlia.
Seu casamento é apontado como um dos mais duradouros do meio artístico, são quase 20 anos juntos de sua esposa.
Seus sogros são os grandes atores Lineu Dias e Lílian Lemmertz.

Carreira

Integrou o grupo de teatro Boi voador, dirigido por Ulysses Cruz, com quem estreou em 1985, na peça Velhos Marinheiros, de Jorge Amado. Entre 1985 e 1989, esteve presente em diversos espetáculos promovidos pelo grupo como Corpo de Baile, de Guimarães Rosa, e Pantaleão e as Visitadoras, de Mario Vargas Llosa.
Sua primeira atuação no cinema, deu-se com o curta Paixão Cigana, de 1991.
Foi atuando em sua primeira novela, já como protagonista, Guerra sem Fim, da extinta Rede Manchete. Nessa novela foi onde conheceu sua atual esposa e junto com ela, contracenou também na peça Hamlet, de 1993.
Sua estréia na Rede Globo foi, em 1994, com uma participação na minissérie Incidente em Antares. Mas o sucesso e o reconhecimento só vieram no ano seguinte, quando interpretou Luiz Cláudio, um dos personagens centrais da minissérie Engraçadinha... Seus Amores e Seus Pecados. Em pouco tempo, tornou-se um dos atores mais requisitados da emissora.


Em 1995, despontaria em A Próxima Vítima, como o interesseiro Bruno e, em 1996, vive o seu primeiro protagonista em novelas da Rede Globo, o Afonso de Quem É Você?, ao mesmo tempo em que esteve no cinema com o longa Terra Estrangeira, de Walter Salles. Depois vieram, o co-protagonista Solano Dumont de Zazá, em 1997, e o publicitário Nélio Porto Rico do remake de Pecado Capital, em 1998.
Em 1999, integrou o elenco do seriado Mulher, protagonizado por Patrícia Pillar e Eva Wilma, na pele do médico João Pedro. Também atuou no filme Um Copo de Cólera, tendo protagonizado a sua primeira cena de nu nas telonas. Posteriormente, em 2000, participou da histórica minissérie A Muralha, como Dom Guilherme, lançada no ano de comemoração aos 500 anos do Brasil. Nesse mesmo ano, encarnou o boa vida Danilo da novela Laços de Família, mostrando ao telespectador seu lado cômico e, o jogador de futebol Acácio, do filme Bossa Nova, de Bruno Barreto.


Alexandre Borges, Julia Lemmertz e Miguel no Leblon

Em 2001, atuou na novela As Filhas da Mãe, como Leonardo Brandão, herdeiro de uma grande fortuna que se apaixona pela transexual Ramona, de Cláudia Raia. Em seguida, protagonizou a novela O Beijo do Vampiro, como Rodrigo, o lendário Cavaleiro Negro.
Em 2003, esteve presente no grande sucesso de Celebridade, como Cristiano, jornalista de grande sucesso, versado em cultura brasileira e MPB, viúvo, que vê sua carreira ir por água abaixo após se entregar à bebida por não suportar a morte da mulher. Nesta novela, voltou a fazer par romântico com sua atual esposa, a atriz Júlia Lemmertz, que na novela deu vida à sua vizinha Noêmia.
Em 2004, participou da programação de final de ano da Rede Globo, ao integrar o elenco da microssérie O Pequeno Alquimista, feita nos mesmos moldes da série cinemática Harry Pottere, também responsável por lançar o ator Daniel Torres.

Em 2005, co-antagonizou a novela Belíssima, como o italiano Alberto Sabatini, ex-marido de Safira e pai de Giovanna. Na novela, Alberto tenta fazer de tudo para conquistar Mônica, sua empregada doméstica, e arma muitos planos para separá-la do homem de sua vida, Cemil. No dia do casamento dos dois, Alberto envia fotos forjadas de Cemil com outra mulher para Mônica, e a jovem desiste do matrimônio. Ela se casa com o patrão, mas ele lhe trai com muitas mulheres, entre elas, Rebeca, dona de uma agênica de modelos.
Em 2006, protagonizou o filme Gatão de Meia Idade, que conta a história de um quarentão, solteiro, charmoso e sedutor que atravessa a chamada "crise da meia-idade" e, participou também do longa Zuzu Angel, que narra a dramática história da estilista que teve seu filho torturado e assassinado pela ditadura militar.

Em 2007, foi um dos protagonistas de Amazônia, de Galvez a Chico Mendes, tendo encarnado Plácido de Castro na segunda fase da minissérie. No mesmo ano, atuou em Desejo Proibido, como Dr. Escobar, médico que vive um romance proibido com sua paciente Ana, de Letícia Sabatella, repetindo o que acontecera em A Muralha, de 2000.
Em 2008, fez uma participação especial nos primeiros capítulos de Três Irmãs, como Artur Áquila, vítima de um acidente fatal de carro. Posterior a esse trabalho, em 2009, viveria mais um dos seus grandes momentos na TV, ao dar vida ao excêntrico Raul Cadore, de Caminho das Índias. Empresário frustrado, vive um casamento desastroso e busca refúgio para seus problemas na amante Yvone, melhor amiga de sua esposa, Silvia. Raul está decidido a mudar de vida e para isso seria capaz de tudo, até mesmo de forjar a própria morte, fugir do país e trocar de identidade. Porém, o que ele não imagina é que Yvone, na verdade, está de olho somente na sua fortuna.


Em 2010, pode ser visto na pele do costureiro Jacques Leclair, no remake de Ti Ti Ti, em que mais uma vez fará par com Cláudia Raia. Um fato curioso, é que os atores são sempre figurinhas certas em produções assinadas por Sílvio de Abreu, o que não ocorrerá em Passione, porém, coincidentemente, foram escalados para o mesmo folhetim.

Duas das atrizes com quem mais trabalhou são, justamente, Cláudia Raia, sua amiga, onde estiveram juntos, entre outras produções, em uma minissérie, três especiais e quatro novelas; e Júlia Lemmertz, sua esposa, com quem atuou em nada menos de um seriado, uma minissérie, seis novelas, dois especiais e a três temporadas da série do Multishow, Joana e Marcelo, além de sete filmes e duas peças.
Foi responsável pela produção dos longas O Invasor e Joana e Marcelo, Amor (Quase) Perfeito. Este último teve uma versão mais completa feita para a televisão.


Trabalhos
Televisão
 Novelas, Minisséries e Seriados
1993 - Guerra sem Fim.... Cacau
1994 - Incidente em Antares.... Padre Pedro Paulo
1995 - Engraçadinha... Seus Amores e Seus Pecados.... Luís Cláudio
1995 - A Próxima Vítima.... Bruno Biondi
1996 - Quem É Você?.... Afonso
1997 - Joana e Marcelo, Amor à Primeira Vista.... Marcelo
1997 - Zazá.... Solano Dumont
1998 - Torre de Babel.... Ronaldo Mendes
1998 - Pecado Capital.... Nélio Porto Rico
1999 - Joana e Marcelo, Amor que Fica.... Marcelo
1999 - Mulher.... João Pedro
2000 - A Muralha.... Dom Guilherme Shetz
2000 - Laços de Família.... Danilo Albuquerque
2001 - As Filhas da Mãe.... Leonardo Brandão
2002 - Joana e Marcelo, Amor (Quase) Perfeito.... Marcelo
2002 - O Beijo do Vampiro.... Rodrigo
2003 - Celebridade.... Cristiano Reis
2004 - O Pequeno Alquimista.... Aderbal
2005 - Belíssima.... Alberto Sabatini
2007 - Amazônia, de Galvez a Chico Mendes.... Plácido de Castro
2007 - Desejo Proibido.... Dr. Escobar
2008 - Três Irmãs.... Artur Áquila
2009 - Caminho das Índias.... Raul Cadore / Humberto Cunha
2010 - Ti Ti Ti.... Jacques Leclair / André Spina
2012 - Avenida Brasil.... Cadinho (Carlos Eduardo de Souza Queirós/Dudu)


Especiais
1995 - A Comédia da Vida Privada, Sexo na Cabeça .... Antônio
1995 - Você Decide, O Príncipe Desencantado
1995 - Você Decide, A Dama de Ferro
1996 - Não Fuja da Raia
1996 - Mundo VIP .... Ele Mesmo
1998 - Você Decide, Trabalho Escravo
1998 - Mundo VIP .... Ele Mesmo
1999 - Mundo VIP .... Ele Mesmo
2000 - Mundo VIP .... Ele Mesmo
2001 - Sai de Baixo, Miami ou Me Deixe .... Dênis
2001 - Mundo VIP .... Ele Mesmo
2002 - A Grande Família, A Escolha de Bebel
2002 - Os Normais, Uma Amizade Normal .... Marcelo
2004 - A Diarista, Aquele da Regressão .... Calígula
2005 - Sob Nova Direção, O Passado Mora ao Lado .... Guilherme
2006 - Casseta & Planeta, Urgente!
2008 - Casos e Acasos, O Bombeiro, o Furto e a Foto .... Vinícius
2008 - Essa História Dava um Filme .... Ele Mesmo
2009 - Episódio Especial .... Ele Mesmo
2009 - Chico e Amigos .... Augusto
2009 - Programa Piloto .... Alvarenga
2010 - Episódio Especial .... Ele Mesmo

 Cinema
1991 - Paixão Cigana
1992 - Sangue, Melodia
1993 - Estado de Espírito
1994 - Mil e Uma.... Antônio
1996 - Tudo Cheira a Gasolina .... Passageiro
1996 - Terra Estrangeira.... Miguel
1997 - Mangueira - Amor à Primeira Vista.... Marcelo
1997 - Glaura
1998 - Traição.... Marido
1998 - Amor & Cia..... Machado
1999 - Amor que Fica.... Marcelo
1999 - Um Copo de Cólera
1999 - Até que a Vida nos Separe.... João
2000 - Deus Jr.
2000 - Bossa Nova.... Acácio
2001 - Nelson Gonçalves.... Nelson Gonçalves
2001 - Garota do Rio
2001 - O Invasor.... Gilberto / Giba
2002 - Joana e Marcelo, Amor (Quase) Perfeito.... Marcelo
2002 - As Três Marias
2003 - Acquária.... Bártok
2004 - Pato com Laranja
2005 - Nanoilusão
2006 - Balada das Duas Mocinhas de Botafogo.... Pai
2006 - Zuzu Angel.... Fraga
2006 - Gatão de Meia Idade.... Cláudio
2008 - Adagio Sostenuto.... José Morelli
2008 - Plastic City - Dangkou (original title)....

Teatro
1985 - Velhos Marinheiros
1987 - Corpo de Baile
1989 - Pantaleão e as Visitadoras
1993 - Hamlet
1994 - Eu Sei Que Vou Te Amar
2002 - Dois Perdidos Numa Noite Suja

Biografia,Aldemir Martins(um artista plástico)


 Aldemir Martins
Aldemir Martins (Aurora, 8 de novembro de 1922 — São Paulo, 5 de fevereiro de 2006) foi um artista plástico brasileiro, ilustrador, pintor e escultor autodidata, de grande renome e fama no país e exterior. Foi o primeiro brasileiro a ganhar um prêmio na Bienal de Veneza.


Biografia

                                                      Formação
Nascido na região do Vale do Carirí, estado do Ceará, Aldemir foi filho de Miguel de Souza Martins e Raimunda Costa Martins. Seu pai era encarregado da construção de estradas de ferro na Rede Viação Cearense, por isso a família se mudou várias vezes durante sua infância. Finalmente estabeleceram-se no município de Pacatuba, próximo à Fortaleza, quando Aldemir tinha, aproximadamente 11 anos.Desde menino, Aldemir dedicou-se ao desenho. Em 1934 é enviado ao Colégio Militar de Fortaleza, onde é feito orientador artístico de classe devido à sua habilidade no desenho. Em 1939 é transferido o Ateneu São José, onde conclui o curso ginasial. 


Serve ao exército, no período de 1941 a 1945, onde desenha o mapa aerofotogramétrico de Fortaleza, onde conquista seu primeiro prêmio ao vencer o concurso promovido pela Oficina de Material Bélico da 10ª Região militar, na pintura de viaturas do exército, e é nomeado "Cabo Pintor".No início da década de 1940, Aldemir cria, juntamente com Mário Barata, Barbosa Leite, Antônio Bandeira, Carmélio Cruz, Inimá de Paula e outros, o Grupo Artys e a SCAP - Sociedade Cearense de Artistas Plásticas, consideradas como responsáveis pela renovação do ambiente artístico cearense. Em 1942 expõe, pela primeira vez, no II Salão de Pintura do Ceará. Neste período passa a trabalhar, como ilustrador para jornais, revistas e livros.
Migração
Aldemir muda-se em 1945, para o Rio de Janeiro, onde participa de uma coletiva na Galeria Askanasi e do Salão Nacional de Belas Artes. Um ano depois muda-se para São Paulo onde realiza sua primeira exposição individual, na seção paulista do Instituto de Arquitetos do Brasil. Retoma sua atividade jornalística com ilustrações para a coluna "Bairros na Berlinda" publicada pelo Correio Paulistano, com textos de Daniel Linguanotto e fotos de Chiquinho. Assina, também com Argeu Ramos, a coluna "Daniel comenta e Aldemir ilustra" publicada pelo jornal A Noite. Faz, ainda, ilustrações para "O Jornal De São Paulo", para "O Diário" e para a revista "Elite". Desenhava as seções da Assembléia Legislativa de São Paulo com textos de Maurício Loureiro Gama. Nessa época é que conhece políticos que se tornariam muito conhecidos no cenário brasileiro, como Ulisses Guimarães, Auro de Moura Andrade, Roberto de Abreu Sodré, e outros. Ilustrou, ainda, textos e poesias de escritores como Domingos Carvalho da Silva, José Escobar Faria, Mário da Silva Brito, Jorge Medauar, André Carneiro, Dulce Carneiro, César Memolo Jr., entre outros.
Em 1947 é convidado a participar da exposição "19 Pintores", que marca a ascensão de uma nova geração de artistas brasileiros. Nesta exposição Aldemir conquista um prêmio na 3ª colocação. Desde então, participa ativamente do movimento artístico brasileiro. 
A partir de 1947, tinha exposições nos principais salões de arte do país e recebeu vários prêmios. Em 1949, fez um curso de história da arte com Pietro Maria Bardi e tornou-se monitor do Masp, onde também estudou gravura com Poty e conheceu Cora Pabst, que viria a ser sua segunda esposa. Após uma viagem ao Ceará, em 1951, Martins decidiu retornar a São Paulo num caminhão pau-de-arara. Com essa experiência, iniciou uma série de desenhos de temática nordestina, que caracterizaria sua carreira. 
Em 28 de julho de 1950 nasce seu filho Pedro Martins, fruto de seu primeiro casamento com Amélia Bauerfeld. Neste ano também participa do IIº Salão Baiano de Artes Plásticas, em Salvador, onde recebe Medalha de Bronze.
Em 1951 pinta dois painéis para o Ceará Rádio Clube. Faz exposição individual na União Cultural Brasil-Estados Unidos, em Fortaleza.. Volta para São Paulo viajando em um caminhão pau de arara, na pesquisa feita nessa viagem produz a primeira série de desenhos de "paus de arara, rendeiras e cangaceiros. Recebe o Prêmio de Aquisição "Dona Olívia Guedes Penteado" na Iª Bienal de Artes de São Paulo. Com o dinheiro do prêmio pôde voltar ao nordeste para seguiria o roteiro do cangaço. Acompanhado por José da Caldas Zanini e Mário Cravo Jr., vai à Pageú das Flores, Caruaru, Geremoabo, Paulo Afonso, Canudos, Riacho do Navio, Pedra do Buick e a outras regiões da caatinga nordestina.Em 1952 participa do IIº Salão Nacional de Arte Moderna, no Rio de Janeiro e na América do Sul, da "Exposición de Pinturas y Dibujos Brasileños", em Santiago, Buenos Aires e Caracas. Neste mesmo ano também participa da Bienal de Veneza e da exposição coletiva Itinerante de Artistas Brasileiros, que passou pelos países Japão, Estados Unidos, México, Chile e Bolívia. Com Mário Cravo e José Caldas Zanini, faz uma viagem pelo sertão baiano. Como ilustrador, desenha o logotipo da Editora Cultrix, de São Paulo. Em 14 de outubro, casa-se com Cora Pabst que será sua companheira de toda vida.


Bienais
Em 1953, Aldemir participa do IIIº Salão Nacional de Arte Moderna, no Rio de Janeiro, onde recebe o Certificado de Isenção do Júri e da IIª Bienal de São Paulo, onde recebe o Prêmio Aquisição "Nadir Figueiredo". No ano seguinte, participa do IIIº Salão Paulista de Arte Moderna, recebendo o Prêmio de Aquisição. Em 1954 realiza seu primeiro trabalho cenográfico para a peça "Lampião", de Raquel de Queirós, encenada no teatro Leopoldo Fróes, em São Paulo, com os atores Sérgio Cardoso e Araçari de Oliveira no elenco. Lança o álbum de xilogravuras "Cinco Carreiras de Cururu", com texto de Paulo Vanzolini, com tiragem de 150 volumes pela editora Grafix, São Paulo.
Em 1955 realiza exposição no Vº Salão Baiano de Artes Plásticas, em Salvador, Bahia, onde recebe a Medalha de Ouro. Neste ano recebeu novos prêmios, o primeiro por sua participação na IIIª Bienal de São Paulo, onde recebe o Prêmio de Desenho, e o segundo no IVº Salão de Arte Moderna, no Rio de Janeiro, onde recebe a "Pequena Medalha de Ouro".
Nesta época Aldemir inicia a pintura de uma série de painéis. Pinta o painel do bar "O Cangaceiro", no Rio de Janeiro, que se tornaria reduto da boemia carioca, frequentado por pintores, jornalistas e escritores da época, entre eles Dorival Caymmi e Ary Barroso. Em São Paulo, pinta um painel para a residência de Rudi Bonfiglioli, faz um painel de pastilhas para a Vidrotil, um painel para a Casa Beethoven, um para Companhia União de Refinadores, e um para a loja Adams.

No ano de 1956 recebe uma nova Medalha de Ouro no V Salão Nacional de Arte Moderna, no Rio de Janeiro. Participa também de uma feira realizada pelo clube do qual foi um dos fundadores, Clube dos Artistas Plásticos e Amigos da Arte, a I Feira Anual de Artistas Plásticos de São Paulo. Em Veneza, recebe o prêmio "Prezidente del Consigli dei Ministri" da XXVIII Biennale di Venezia, atribuído ao Melhor Desenhista Internacional.Neste mesmo período, expõe gravuras no Circolo dei Principi, em Roma, juntamente com o gravador Lívio Abramo. Desenha o galo símbolo do "Baile do Galo Vermelho", promovido pelo Hotel da Bahia, em Salvador. Como ilustrador, produz a capa do livro "História do Modernismo Brasileiro - Antecedentes da Semana de Arte Moderna", de Mário da Silva Brito, lançado pela Editora Saraiva. Faz uma gravura especialmente para o clube Amigos da Gravura do Rio de Janeiro. Ilustra "Sonetos de Bocage", lançado pela Editora Saraiva. É incluído entre "Os Melhores Paulistas do Ano", pela revista Manchete, da Bloch Editora. É escolhido para fazer parte do Conselho Consultivo da diretoria do MASP.
Em 1957 recebe 7º lugar na enquete popular feita pelo jornal Última Hora, de São Paulo, para "O Homem do Ano", de 1956. Por sua participação no VI Salão Nacional de Arte Moderna, no Rio de Janeiro, recebe o Prêmio "Viagem ao País". Recebe o Prêmio "Melhor Desenhista Brasileiro" na IV Bienal de São Paulo, dado pelo Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Seu desenho "Pássaro" é escolhido para cartão de natal da revista belga Quadrum.
No ano de 1958 realiza uma série de exposições nos Estados Unidos, e é convidado a permanecer no país, por três meses, a convite do Departamento de Estado Americano, visita a Filadélfia, Chicago, Detroit, Boston e New York. Faz álbum de Silk Screem, com apresentação de Pietro Maria Bardi, com tiragem de 100 exemplares em edição bilíngüe, pela Galeria Bonina, Buenos Aires, Argentina. 
Nesta época é convidado para executar dois painéis para o Aeroporto de Congonhas, pintando-os sobre as paredes da ala Internacional. Anos depois esses painéis se deterioraram e, apesar de Aldemir ter se proposto a restaurá-los, de graça, terminaram destruídos e o Departamento de Aviação Civil mandou pintar as paredes onde estavam.Ainda no ano de 1958, recebe o Prêmio Jabotí na categoria Melhor Capa de Livro do Ano, atribuído pela Câmara Brasileira do Livro, pela capa de "História do Modernismo Brasileiro - Antecedentes da Semana de Arte Moderna". Neste ano também nasce sua filha, em 24 de novembro, Mariana Pabst Martins, fruto de sua união com Cora Pabst. 
Em 1959, recebe o prêmio de viagem ao exterior do Salão Nacional de Arte Moderna e permanece por dois anos na Itália.Fez desenhos em nanquim que serviram para estampar objetos e tecidos de decoração.
Em 5 de fevereiro de 2006, aos 83 anos, Aldemir sofreu um infarto em sua residência, faleceu no Hospital São Luís em São Paulo.


Curiosidades
- “Depois de Pelé, Rivelino é o jogador que mais parece interessar aos pintores brasileiros. Ele já foi retratado por Luís Jasmim, Cláudio Tozzi e, na época da Copa do México, por Aldemir Martins. Que, neste quadro, foge de seu estilo tradicional e consagrado, abandonando o branco-e-preto para se utilizar de cores vivas, como as da camisa da Seleção Brasileira.” - “Jorge Amado escreveu “A bola e o goleiro” e convidou seu amigo Aldemir para ilustrar o texto. O livro que resultou do trabalho a quatro mãos foi bem recebido e acabou sendo traduzido na Suíça. Lá, em 1991, recebeu o título de “Bola Fura-Redes under Torhuter”. Marco importante, pois pouco a pouco, estamos aumentando a exportação de literatura brasileira graças a qualidade do que produzimos.” - “Em 1958, foi criado pela CBL (Câmara Brasileira do Livro), o Prêmio Jabuti (com o intuito de incentivar autores e projetos editoriais) e também pela Cultrix a coleção “Mestres do Desenho”.  


Exposições e Prêmios
1951 – Prêmio de desenho na [Bienal de São Paulo], com “O Cangaceiro”.
1953 – Pintores Brasileiros, Tóquio, Japão.
1954 – Gravuras Brasileira, Genebra, Suíça.
1955 – Bienal Internacional de Desenho e Gravura de Lugano, Suíça.
1956 – Medalha de Ouro no V Salão Nacional de Arte Moderna no Rio de Janeiro, XXVIII Bienal de Veneza, Itália – Prêmio “Presidente Dei Consigli dei Ministeri”, atribuído ao melhor desenhista internacional.
1957 – Exposição de gravuras no “Circolo dei Principi”, Roma, Itália, com "Lívio Abramo", - VI Salão de Arte Moderna, Rio de Janeiro.
1958 – Festival Internacional de Arte, Festival Galleries, Nova Iorque, Estados Unidos, VIII Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro.
1959 – Prêmio de viagem ao Exterior do VIII Salão de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Exposição individual no Museu de Arte Moderna da Bahia.
1960 – Exposição coletiva Artistas Brasileiros e Americanos, Museu de Arte de São Paulo.
1961 – Exposição de desenhos e litografias na Sociedade Nacional de Belas Artes, em Lisboa, Portugal.
1962 – Exposição individual na Sala Nebili, Madri, Espanha, Exposição coletiva “Brasilianische Kunstler der Gegenwart”, Kassel, Alemanha.
1965 – Exposição individual no Instituto de Arte Contemporânea, Lima, Peru.
1968 – Primeiro prêmio por grafia na Bienal Internacional de Veneza de 1946 a 1966.
1970 – Panorama da Arte Atual Brasileira – Pintura 70, Museu de Arte Moderna de São Paulo.
1975 - XIII Bienal de São Paulo – Sala Brasileira.
Participou de diversas exposições no Brasil e no exterior tendo como destaques: 

1978 - Retrospectiva "19 pintores", no Museu de Arte Moderna de São Paulo.
1980 – Exposição circulante, coletiva, no Museu de Arte Moderna de São Paulo, Coletiva 48 artistas, na Pinacoteca do Estado, São Paulo.
1981 – Exposição de pinturas, desenhos e esculturas no Museu de Arte da Bahia.
1982 – Internacional Arte Expo, Estocolmo, Suécia.
1984 – Coletiva – "A Cor e o Desenho no Brasil", Museu de Arte Moderna de São Paulo, Individual de pintura, desenho e gravura – "Arte Amazônica", Nova Iorque, Estados Unidos, "Tradição e Ruptura" – Fundação Bienal de São Paulo.
1985 – Lançamento do livro “Aldemir Martins, Linha, Cor e Forma”.
1988 – Comemoração de 30 anos da SCAP – Sociedade Cearense de Artistas Plásticos - Fortaleza, Ceará, "Os Muros de Maison Vogue", MASP – Museu de Arte de São Paulo
1989 – "O Nordeste de Aldemir Martins", Espace Latin-American, Paris, França.
2005 - "Sete décadas de Sucessos Artísticos" – 1945-2005 - O MASP inaugura exposição retrospectiva de Aldemir Martins e promove o lançamento do livro do pintor e gravador brasileiro, conhecido pelos seus temas do nordeste, animais e mulheres. A retrospectiva de um dos artista brasileiro vivo foi uma homenagem do Masp a Aldemir Martins, por suas sete décadas de produção artística.

Prêmio Jabuti  

Precedido por
Jabuti 01.jpg Prêmio Jabuti - Capista
1959
Sucedido por
Eugênio Hirsch

terça-feira, julho 30, 2013

Biografia, Paul McCartney(Musico)


Paul McCartney
Sir James Paul McCartney MBE (Liverpool, 18 de junho de 1942) é um cantor, compositor, baixista, guitarrista, pianista, multi-instrumentista, empresário, produtor musical, cinematográfico e ativista dos direitos dos animais britânico. McCartney alcançou fama mundial como membro da banda de rock britânica The Beatles, com John Lennon, Ringo Starr e George Harrison. Lennon e McCartney foram uma das mais influentes e bem sucedidas parcerias musicais de todos os tempos, "escrevendo as canções mais populares da história do rock".  Após a dissolução dos Beatles em 1970, McCartney lançou-se em uma carreira solo de sucessos, formou uma banda com sua primeira mulher Linda McCartney, os Wings. Ele também trabalhou com música clássica, eletrônica e trilhas sonoras.

Em 1979, o Livro Guinness dos Recordes declarou-o como o compositor musical de maior sucesso da história da música pop mundial de todos os tempos.  McCartney teve 29 composições de sua autoria no primeiro lugar das paradas de sucesso dos EUA, vinte das quais junto com os Beatles e o restante em sua carreira solo ou com seu grupo Wings.
Paul McCartney é o canhoto e baixista mais famoso da história do rock, embora também toque outros instrumentos, como bateria, piano, guitarra, teclado, etc. É considerado como um dos mais ricos músicos de todos os tempos. Foi eleito, em 2008, o 11º melhor cantor de todos os tempos pela revista Rolling Stone. Fora seu trabalho musical, McCartney advoga em favor dos direitos dos animais, contra o uso de minas terrestres, a favor da comida vegetariana e a favor da educação musical. Em 1997 foi publicada a biografia intitulada Many Years From Now, autorizada pelo músico e escrita pelo britânico Barry Miles.

Sua empresa MPL Communications detém os direitos autorais de mais de três mil canções,  incluindo todas as canções escritas por Buddy Holly.
Paul McCartney é vegetariano e já declarou à imprensa como tomou essa decisão: "Há muitos anos, estava pescando e, enquanto puxava um pobre peixe, entendi: eu o estou matando, pelo simples prazer que isso me dá. Alguma coisa fez um clique dentro de mim. Entendi, enquanto olhava o peixe se debater para respirar, que a vida dele era tão importante para ele quanto a minha é para mim". É membro honorário e participante ativo das campanhas do PETA (People for the Ethical Treatment of Animals, ou Pessoas pelo tratamento ético dos animais, em português). Em 2006 no Grammy Awards ele cantou com Linkin Park e Jay-Z uma versão de Numb/Encore incluindo a sua música Yesterday.


                                                    Juventude

Paul nasceu no Hospital Geral de Liverpool, Inglaterra, onde sua mãe, Mary, tinha trabalhado como enfermeira na maternidade alguns anos antes.  Ele tinha um irmão, Michael, que nasceu no dia 7 de janeiro de 1944.  Foi batizado com o nome de James Paul McCartney na igreja católica; sua mãe era católica e o pai, protestante, posteriormente tornou-se agnóstico. Como muitos de Liverpool, os McCartney tinham ascedência irlandesa. 
Aos onze anos, Paul passou a frequentar a escola Liverpool Institute. Foi no ônibus a caminho da escola que Paul conheceu George Harrison.  Em 1955, os McCartney mudaram-se para 20 Forthlin Road, em Allerton (subúrbio de Liverpool). Atualmente a casa dos McCartney faz parte do The National Trust.


   (organização que protege e conserva locais de interesse histórico na Inglaterra).
No dia 31 de outubro de 1956, aos 14 anos, Paul perdeu a mãe, que faleceu de embolismo após uma mastectomia para conter o câncer de seio.  Esse acontecimento faria, posteriormente, com que Paul se sentisse próximo a John Lennon, que também perdeu a mãe precocemente, aos 17 anos. 
O pai de Paul, Jim, trabalhava vendendo algodão. Ele tocava trompete e piano e teve uma banda de dança de salão nos anos 20. Após a morte da mulher, Jim começou a estimular Paul a se interessar pela música comprando-lhe um trompete. Mas Paul não se interessou pelo trompete. Seu interesse pela música só começou quando o skiffle tornou-se popular na Inglaterra.

   Anos 1960
 
No ano de 1957, McCartney então com quinze anos conheceu John Lennon ao assistir ao show de uma banda chamada Quarrymen em Woolton (subúrbio de Liverpool). Esta seria a banda que daria origem aos The Beatles. No início, a tia de John desaprovou a amizade dos dois pois McCartney vinha da classe operária. A entrada de McCartney para a banda se deu após Lennon ver McCartney tocar a canção "Twenty Flight Rock" de Eddie Cochran. John Lennon acabou o convidando para entrar para a banda. Os dois começaram a compor juntos algumas canções. Em 1958, McCartney convenceu Lennon a aceitar George Harrison na banda. Lennon estava relutante ao aceitá-lo já que Harrison era considerado muito novo. Após a entrada de Harrison, Stuart Sutcliffe, amigo da escola de artes de John Lennon, entrou para a banda como baixista.
Os Quarrymen mudaram de nome várias vezes até começaram a se chamar The Beatles. Em 1960, a banda foi pela primeira vez tocar em Hamburgo. Na época, Jim McCartney relutou bastante em deixar seu filho ainda adolescente, Paul, ir a Hamburgo.  Paul e o baterista Pete Best acabaram sendo deportados da Alemanha após darem início a um pequeno incêndio no local onde estavam hospedados.

Em 21 de março de 1961, os Beatles fizeram seu primeiro show no Cavern Club.  Após Paul McCartney notar que outras bandas de Liverpool tocavam as mesmos covers que eles, ele e John se intensificaram em compor novas canções.  No mesmo ano, os Beatles retornaram a Hamburgo para fazer shows em clubes noturnos, neste momento Paul passou a tocar baixo pois Stu largara a banda e então os Beatles se tornaram um quarteto com dois guitarristas (John e George), um contrabaixista (Paul) e uma baterista (Pete).  Foi ainda no mesmo ano que os Beatles conheceram Brian Epstein e logo depois conseguiram o contrato com a EMI Parlophone após serem recusados pela Decca Records. Com a assinatura do contrato, Pete, o baterista, foi dispensado e em seu lugar entrou Ringo Starr.

Durante os Beatles, McCartney formou junto a John Lennon uma dupla de compositores, e combinaram que mesmo quando alguma canção fosse escrita só por um deles, ela traria a assinatura de Lennon/McCartney. Nos Beatles, McCartney era o que mais escrevia canções românticas. São de sua autoria canções como "Yesterday", "And I Love Her", "Michelle" e "Here There and Everywhere". Embora Paul sempre fosse acusado de só escrever baladas, ele também escreveu várias canções com um estilo mais pesado como "Back In The USSR", "Helter Skelter" e "The End". A canção "Yesterday" é a mais regravada por outros artistas em todos os tempos. Nos anos 60, Paul ainda escreveu canções para outros músicos entre elas "A World Without Love" gravada por Peter & Gordon que atingiu o primeiro lugar nas paradas de sucesso). Em 1966 os Beatles, no auge da fama, pararam de fazer shows ao vivo.

No mesmo ano, Paul McCartney foi o primeiro beatle a desenvolver um projeto musical solo, onde compôs a trilha sonora para o filme televisivo The Family Way. Pelo trabalho, McCartney ganhou o prêmio Ivor Novello como melhor tema instrumental.
Depois que Brian Epstein morreu em 1967 e John Lennon passou os Beatles para segundo plano, após conhecer Yoko Ono, McCartney se tornou a figura central da banda, o que acabou gerando conflitos com Lennon. Ele e Lennon também entraram em conflito na hora de escolher um novo empresário para a banda. Em 1969, McCartney tentou convencer os outros beatles de voltarem a fazer apresentações ao vivo. Neste mesmo ano, por sua sugestão os Beatles gravaram o filme/documentário Let It Be pensando que isto os reaproximaria, o que não aconteceu.

 Em dia 10 de abril de 1970 Paul McCartney anunciou publicamente o fim dos Beatles em entrevista coletiva e anunciou o lançamento de seu primeiro álbum solo.  Embora eles já não quisessem mais continuar juntos a entrevista antecipada de Paul sem o consentimento dos demais integrantes gerou mágoas a ponto de ser acusado por eles de traidor.
O lançamento do álbum Let It Be quase um mês depois da declaração oficial do fim dos Beatles deixou Paul insatisfeito. A produção do álbum foi entregue a Phil Spector, e McCartney ficou desapontado com o tratamento que Phil deu a suas canções, principalmente em "The Long and Winding Road".


                                                      A lenda da morte de Paul McCartney

 
A lenda da morte de Paul McCartney começou no final dos anos 60. No dia 12 de outubro de 1969, um telefonema anônimo ao DJ Russ Gibb da radio WKNR-FM de Dearborn, Michigan, informou sobre a morte de Paul dizendo que se a canção "Revolution 9" fosse ouvida ao contrário seria possível ouvir turn me on, dead man (reviva-me, homem morto).  Posteriormente um estudante da Universidade de Michigan publicou uma revisão sobre o álbum Abbey Road detalhando vários indícios da morte de Paul McCartney.  No dia 14 de outubro, um jornal de Michigan abordou o assunto. A lenda tomou força quando um DJ de Nova York, Ruby Yonge, falou em seu programa da WABC sobre a morte de McCartney. Ruby foi demitido imediatamente porém a rádio WABC podia ser escutada em quase todo o território americano, o que acabou fazendo com que a lenda tomasse proporções gigantescas.

A versão mais comum é que Paul McCartney teria morrido em um acidente de carro (evidência encontrada na canção "A Day In The Life"). E a partir de sua morte os Beatles passaram a deixar pistas em seu trabalho sobre o fato. O indício mais forte que teria sido deixado pelos Beatles estaria na capa do álbum Abbey Road. Na capa há um fusca branco com a placa "LMW 281F", o 28 IF significaria 28 anos se McCartney estivesse vivo (If significa "se" em português). Além disto McCartney aparece descalço (como os mortos eram enterrados na Inglaterra), estava segurando o cigarro na mão direita (Paul é canhoto), e na placa do fusca branco as iniciais LMW poderiam significar Linda McCartney Weeps (em português Linda McCartney chora) ou Linda McCartney Widow (Linda McCartney viúva).


                                                          MBE e o título de Sir

Como os outros três membros da banda, McCartney foi agraciado, em 1966 como Membro do Império Britânico. Porém, é o único membro dos Beatles a ostentar o título de "Sir", honraria que lhe foi concedida pela Rainha em 1997. O título de Sir é mais distinto do que o de Membro do Império, por se tratar de um título nobiliárquico de mais alto valor, equivalente a "Cavaleiro do Império Britânico" (Knight of the British Empire). Apenas Paul McCartney recebeu a distinção, por isso, é incorreto chamar os outros membros da banda de "Sir".

 Anos 1970: Solo

Em seu primeiro álbum após o fim do Beatles, McCartney, McCartney escreveu todas as canções, gravou todos os instrumentos e produziu o disco em um estúdio particular de sua casa, com Linda fazendo os vocais de apoio. O disco foi considerado caseiro demais para os críticos, mas mesmo assim McCartney conseguiu fazer sucesso com a canção "Maybe I'm Amazed" e "Every Night".
Em 1971, McCartney lançou o compacto Another Day, que alcançou sucesso. Ainda no mesmo ano, junto com sua mulher, lançou outro álbum solo, Ram, com alfinetadas ao seu ex-parceiro musical, John Lennon (como na canção "Too Many People").


                                                              Mais tarde John Lennon responderia com a canção "How Do You Sleep?" atacando McCartney. O álbum ainda trazia uma foto de dois besouros (beetles em inglês) copulando em referência aos Beatles. Assim como John Lennon fez com Yoko Ono, Paul McCartney insistiu para que Linda McCartney se tornasse sua parceira musical e ela, assim como Yoko, recebeu através do anos várias críticas por falta de talento musical. Mas o álbum Ram é considerado por muitos como um dos melhores de sua carreira solo, e a canção "Uncle Albert/Admiral Halsey" foi o maior sucesso comercial do álbum.

Anos 70: Wings
Depois do disco solo Ram, ainda em 1971, Paul voltaria a formar uma nova banda, os Wings. Sua nova banda teve durante os anos de sua existência como integrantes fixos Paul McCartney, Denny Laine (ex-Moody Blues) na guitarra e Linda McCartney nos teclados. Outros integrantes não eram fixos como os três.
Os Wings lançaram seu primeiro trabalho em 1972, Wild Life. No mesmo ano, os Wings apresentaram-se pela primeira vez ao vivo em algumas universidades inglesas. Em 1973 o grupo lançou o álbum Red Rose Speedway. Pela primeira vez a banda atingiria o primeiro lugar nas paradas de sucesso, com este álbum e com a canção "My Love". No mesmo ano, a banda lançou a canção "Live And Let Die", parte da trilha sonora do filme de 007 - James Bond: Viva e Deixe Morrer.


Wings

O álbum seguinte foi o álbum de maior sucesso da banda, Band on the Run, eleito o disco do ano, apresentando hits como "Jet" e a faixa-título. Em 1974 os Wings lançaram o álbum Venus and Mars e no ano seguinte o álbum Wings at the Speed of Sound com a canção "Silly Love Songs", em resposta a provocação de John Lennon em "How dou you sleep?" do álbum Imagine.
Em "Tomorrow" no álbum Wild Life, Paul responde à ironia de Lennon em "How do You Sleep?" - "The only thing you could make was Yesterday". (Yesterday <> Tomorrow)
A banda fez uma tournê mundial em 1975-1976 registrada no álbum Wings Over America. Em 1977 a canção "Mull of Kintyre" se tornou o grande sucesso de Paul McCartney em parceria com Denny Laine. No ano seguinte, a banda lançou o álbum London Town, seu disco mais vendido que trouxe o sucesso "With A Little Luck".

 Em 1978 foi a vez do álbum Back to the Egg que contou com a participação de Pete Townshend (The Who), David Gilmour (Pink Floyd), John Paul Jones e John Bonham (ambos do Led Zeppelin) nas canções "Rockestra Theme" e "So Glad to See You Here".
Em 1979, Paul McCartney organizou o show Concert for the People of Kampuchea. Participaram do show não só os Wings mas como também o Queen, The Who, Pretenders, The Clash e Elvis Costello entre outros. Logo após, o Wings partiu em uma turnê ao Japão, onde McCartney foi preso por 8 dias ao desembarcar no aeroporto por porte de maconha. Era o fim da banda.


                                                               Anos 1980
                                                          A morte de John Lennon
Em uma entrevista em 1980, Lennon disse que a última vez que viu McCartney foi quando eles assistiram ao programa de tv Saturday Night Live juntos em maio de 1976, onde Lorne Michaels fez uma proposta de 3.000 dólares para reunir Lennon, McCartney, Harrison e Starr em um show.  McCartney e Lennon tinham considerado a proposta mas estavam cansados demais para seguir até o estúdio.  Na noite de 9 de dezembro de 1980, McCartney acordou com as notícias do assassinato de John Lennon.  A morte de John Lennon criou um frenesi em torno dos outros Beatles vivos.    Na tarde de 9 de dezembro, ao sair de um estúdio na Oxford Street, McCartney ficou rodeado de jornalistas perguntado a respeito da morte de Lennon. McCartney disse, "Eu estou chocado - isto é uma notícia terrível" e disse ainda que passou o dia no estúdio por não querer ficar em casa sentado sem fazer nada." McCartney foi muito criticado pela frieza com que recebeu a notícia da morte de John Lennon.

 Em entevista para a revista Playboy em 1984, McCartney disse que ele ficou assistindo ao noticiário na televisão aquela noite e chorou a noite inteira. Ele relembrou ainda do seu último telefonema a John Lennon, pouco após o lançamento do álbum Double Fantasy de John e Yoko. Segundo McCartney, no telefonema Lennon disse rindo a Paul, "Esta esposa quer uma carreira!" O termo esposa foi usado em referência ao termo esposo-Lennon que tomou conta do filho durante anos. 
Após a morte de Lennon, McCartney voltou ao trabalho mas ficou durante muito tempo sem tocar ao vivo. Ele explicou que isto era devido ao nervosismo de ser o próximo a ser assassinado.  Isto entrou em desacordo com Denny Laine, que queria continuar a fazer shows.  Em 1981, seis meses após a morte de Lennon, McCartney fez parte da vocalização do tributo de George Harrison a Lennon, na canção "All Those Years Ago", junto com Ringo Starr.

Ficheiro:20 forthlin road.jpg
A casa de infância de Paul, em 2006: a casa atrai actualmente muitos fãs e turistas.


                                                          Novos álbuns solo
Seu primeiro álbum solo da década foi o McCartney II, com ênfase em sintetizadores ao invés de guitarras.  A canção "Coming Up" atingiu o segundo lugar na Inglaterra e primeiro nos Estados Unidos.,  e "Waterfalls" foi outro Top 10 inglês.
O álbum seguinte, Tug of War, de 1982, marcou a reunião com o produtor dos Beatles, George Martin,  e com Ringo Starr. McCartney cantou no álbum em dueto, com Stevie Wonder em "Ebony and Ivory"  e fez um tributo a Lennon, "Here Today". O álbum se tornou um de seus maiores sucessos em toda sua carreira solo. Ringo Starr tocou bateria em "Take It Away". Carl Perkins cantou em dueto com Paul a canção "Get it" e Stevie Wonder as canções "Ebony and Ivory" e "What's That You're Doing?".

  No mesmo ano, Paul gravou uma canção com o megastar pop emergente Michael Jackson ("The Girl is Mine"), que foi lançada no álbum de Michael, Thriller.
No ano seguinte, McCartney lançou o álbum Pipes of Peace e alcançou sucesso com as canções "Pipes of Peace", "So Bad" e "Say, Say, Say", esta última em parceria novamente com agora então consagrado Michael Jackson. O álbum trazia novamente a participação de vários artistas além de Michael Jackson, Ringo Starr, Eric Stewart e Denny Laine (ex-Wings), além da produção novamente de George Martin.
McCartney escreveu e atuou no filme de 1984 Give My Regards to Broad Street.

A trilha sonora atingiu o Top 10 americano e inglês  assim como a canção "No More Lonely Nights" (que contou com a participação de David Gilmour, guitarrista da banda britânica Pink Floyd na guitarra solo), mas o filme não se saiu bem comercialmente  e recebeu críticas negativas. No filme, atuaram junto a McCartney sua mulher, Linda, o ex-beatle Ringo Starr e sua mulher Barbara Bach e a atriz Tracey Ullman. No final do mesmo ano, McCartney lançou a canção "We All Stand Together", canção principal do desenho animado Rupert and the Frog Song e escreveu e cantou a canção principal do filme Spies Like Us.
A amizade de Paul McCartney e Michael Jackson acabou em pouco tempo. Eles começaram a se tornar amigos na época da gravação das canções "The Girl is Mine" e "Say Say Say". Após o lançamento de Thriller, Michael tornou-se um dos maiores megastars do mundo pop e acabou comprando o catálogo da Northern Song com isso tornou-se dono dos direitos autorais das canções de Lennon/McCartney, para desgosto de Paul McCartney, que sempre quis comprá-las.
Em 1986 ele lançou o álbum que foi considerado um dos mais fracos de sua carreira solo: Press to Play.

E em 1988 lançou Снова в СССР, com canções clássicas do Rock and roll. Foi originalmente um álbum lançado somente na USSR que posteriormente teve seu lançamento mundial.
No final da década de 80, McCartney começou uma parceria com o compositor e músico Elvis Costello.  As canções compostas apareceram em vários singles e em álbuns de ambos artistas, destacando-se "Veronica" do álbum Spike de Elvis Cosltello, e "My Brave Face" do Flowers in the Dirt de Paul, ambos lançados em 1989.  Este álbum, Flowers in The Dirt, atingiu o primeiro lugar na Inglaterra. No álbum Flowers in The Dirt, Paul homenageia o líder seringueiro brasileiro assassinado em 1988 Chico Mendes, na faixa intitulada How Many People. Em 1989, McCartney embarcou em sua primeira tournê após a morte de John Lennon e a primeira pelos Estados Unidos após 13 anos, a tournê chamada "The Paul McCartney World Tour" foi documentada no álbum Tripping the Live Fantastic.


                                                                 Anos 1990

Em abril de 1990 McCartney tocou pela primeira vez no Brasil, a apresentação foi no estádio de futebol Maracanã, na cidade do Rio de Janeiro, e bateu o incrível record de público em uma apresentação de um artista solo (184 mil pessoas). No ano seguinte, ele gravou um álbum acústico, "MTV Unplugged". Neste álbum, o músico apresenta alguns de seus maiores sucessos compostos quando ainda era um beatle, na versão acústica. Entre as versões novas, constam Here, There and Everywhere, Blackbird, I've Just Seen a Face, entre outras.
Em 1991, lança seu primeiro álbum de música clássica, Liverpool Oratorio. Dividindo opiniões de críticos e público, o álbum foi bem recebido comercialmente, mas considerado irregular por parte dos críticos de música clássica. Mesmo assim, o álbum apresenta uma capacidade crescente do músico em compor música erudita com razoável qualidade e o lança para esse mercado, consquistanto o respeito do grande público.

Em 1993, McCartney lançou o álbum Off the Ground e a canção "Hope of Deliverance" fez um sucesso modesto. Após o disco, iniciou mais uma grandiosa turnê, a The New World Tour, que percorreu o mundo. Ainda em 1993, ele também lançou o disco ao vivo Paul is Live cuja capa tinha uma referência à lenda surgida no fim dos anos 1970 que dizia que McCartney havia morrido e sido substituído nos Beatles por um sósia. A turnê "Paul is Live" foi registrada em vídeo. Vale a pena lembrar que em 1993 Paul voltou ao Brasil fazendo uma "mini-turnê" em São Paulo e Curitiba".
No final de 1993 o músico lança nos Estados Unidos o primeiro álbum sob o pseudônimo The Fireman, em parceria com Youth. Strawbery, Ocean, Ships, Forest marca as incursões de Paul McCartney no gênero eletrônico-instrumental Trance Music. Por esta razão, o álbum - bastante experimental - foi lançado na total obscuridade e, até hoje, é mais considerado como item de colecionador do que propriamente um disco de carreira.

No ano de 1995 Paul McCartney reuniu-se com os ex-Beatles George Harrison e Ringo Starr para a realização de The Beatles Anthology, que englobou um documentário em vídeo, um livro biográfico e três CDs duplos com algumas canções inéditas (gravadas na época da existência do conjunto na década de 60) e canções conhecidas em versões diferentes. Eles também criaram duas novas canções: "Free as a Bird" (1995) e "Real Love" (1996) que mixava a voz do ex-beatle John Lennon junto com os outros integrantes.
Em 1997 McCartney lançou o álbum Flaming Pie. O álbum foi o primeiro a atingir o Top 10 das paradas de sucessos americanas depois do lançamento de Tug of War. Pelo álbum, McCartney seria indicado ao Grammy. No ano seguinte, Linda McCartney morreria de câncer de mama.

No mesmo ano, Paul torna-se atração primordial do concerto Music For Montserrat, realizado em prol das comunidades humildes e necessitadas da Ilha de Montserrat, que sofreu e tem sofrido devido a catástrofes naturais. McCartney tocou ao lado de seus companheiros Mark Knopfler e Eric Clapton.
Em 1999 lançou o álbum Run Devil Run, com releituras de clássicos do rock além de participações de músicos consagrados como David Gilmour, Ian Paice e Mick Green. No final da década, McCartney novamente se envolveu em uma discussão com a viúva de Lennon. Ao lançar um disco, McCartney queria inverter os créditos das canções de Lennon/McCartney para McCartney/Lennon, alegando que as canções em questão eram de sua autoria na época dos Beatles. Yoko Ono não aceitou a inversão.
No dia 10 de abril de 1999 Paul realizou uma homenagem à esposa Linda McCartney, no Royal Albert Hall em Londres, em memória de um ano de falecimento, intitulado: A Concert For Linda, que contou com a presença de vários artistas, entre eles: Eric Clapton, George Michael, Elvis Costello, Phil Collins, The Pretenders e Tom Jones



                                                           2000 - atualidade

Em 2001 Paul McCartney lançou uma coletânea contendo as melhores canções dos Wings, Wingspan, e um documentário sobre a banda em DVD com o mesmo nome. No fim do ano, ele organizou The Concert for New York City, um espetáculo em resposta aos ataques de 11 de setembro.  Participaram do show realizado no Madison Square Garden de Nova York o grupo The Who, Eric Clapton, Billy Joel e Elton John, entre outros. No fim do ano, Paul recebeu a notícia do falecimento de George Harrison. Após a morte de Harrison, McCartney tocou em homenagem algumas vezes composições de George em seus shows, incluindo "For Your Blue", "Something", "While My Guitar Gently Weeps" e "All Things Must Pass".
Com o lançamento do disco Driving Rain ainda em 2001, McCartney iniciou uma turnê em 2002 que acabou sendo registrado em disco e em DVD chamado Back in the US. Ele ainda compôs e gravou a canção título para o filme Vanilla Sky, e foi indicada ao Oscar de melhor canção mas não venceu.

Durante esses últimos anos, McCartney realizou espetáculos que entraram para a história. Apresentou-se duas vezes na partida final do Super Bowl (em 2002 e 2005), finalizou o show em comemoração ao Jubileu da Rainha da Inglaterra Party at the Palace, participou de uma homenagem feita ao ex-beatle George Harrison no Royal Albert Hall em Londres (Concert for George em 2002), fez o primeiro show da história da canção no Coliseu de Roma, apresentou-se pela primeira vez em Moscou (em 2003), tocou no famoso festival inglês Glastonbury Festival (em junho de 2004), tocou no Rock in Rio Lisboa (em 2004) e abriu e finalizou o show do Live8 (em julho de 2005). No ano de 2005 McCartney lançou o disco Chaos and Creation in the Backyard, que foi indicado ao Grammy de melhor álbum.

Em 2007 McCartney oficialmente saiu da Capitol Records e ingressou para a rede de cafés Starbucks  com o seu selo musical " Hear Music", lançando o álbum Memory Almost Full no dia 4 de junho. Para promover o álbum, Paul apareceu no comercial da Apple Computer, iPod+iTunes. No dia 26 de junho de 2007 McCartney apareceu no programa de Larry King da rede CNN com Ringo Starr, Yoko Ono Lennon, Olivia Harrison e Guy Laliberté para promover o "Revolution Lounge" situado em Las Vegas, Nevada e comemorar um ano do aniversário da apresentação LOVE do Cirque Du Soleil. 
Em março de 2009, segundo a empresa de eventos Concerts West, ainda dependente de confirmação do Guiness Book of Records, McCartney tornou-se o recordista mundial em 'rapidez de venda de ingressos para um show musical', ao ter todos os bilhetes postos à venda para um show em Las Vegas, Estados Unidos, esgotados em apenas sete segundos.

Em 2010, participa do álbum de Ringo Starr, Y Not, faz participação em duas faixas na música "Peace Dream" tocando baixo, música esta em homenagem ao ex-beatle John Lennon e na música "Walk With You" fazendo segunda voz. No dia 2 de junho de 2010, Presidente Barack Obama homenageou o cantor, Sir Paul McCartney, numa solenidade na Casa Branca, em Washington, D.C., com a Medalha da Biblioteca do Congresso Gershwin Prize para Canção Popular (Library of Congress Gershwin Prize for Popular Song, en ), pela sua contribuição acumulativa à música e canção popular.
O Presidente começou o seu discurso dizendo: "A todos os tremendos artistas, de todos os gêneros e formações que se uniram a nós hoje a noite para homenagear o primeiro e único, Sir Paul McCartney, muito obrigado: Stevie Wonder, Jonas Brothers, Faith Hill, Emmylou Harris, Lang Lang, Herbie Hancock, Elvis Costello, Jack White, Corrine Bailey Rae, Dave Grohl e o comediante, Jerry Seinfeld. Uma salva de palmas"! O Presidente também agradeceu a Biblioteca do Congresso, a Família Gershwin, a Public Broadcasting Service (PBS) e o Dr.

James H. Billington, cujo trabalho na Biblioteca, e seu profundo compromisso para preservar o patrimônio da América para futuras gerações, é algo que todos nós valorizamos..." além do Presidente também querer mostrar a presença na cerimônia de homenagem a Sir Paul McCartney de diversos membros do Congresso e dignitários, fazendo uma menção especial à presença de Nancy Pelosi, a Presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, a qual chamou de "grande defensora das Artes".
Durante seu breve discurso, Presidente Obama citou a importância extraordinária de Paul para a música e cultura americana, e de ter sido apropriado que a Biblioteca escolhesse Paul, como filho de um homem que tocava música de Gershwin no piano para ele durante sua vida, para receber esta homenagem, "...e que cresceu para ser o escritor de canções mais bem-sucedido da história, Sir Paul McCartney...." e acrescentou: "...Uma carreira legendária, difícil de acreditar que faz quase meio Século, quando os Beatles chegaram às margens da América e mudaram tudo durante a noite...". Disse que: "...os Beatles não foram as primeiras estrelas do rock, eles seriam os primeiros a dizer que outros abriram as portas para eles; mas, eles derrubaram os muros para todos que vieram depois.


  
Entre os músicos que se apresentaram durante a festividade, Paul McCartney também cantou e tocou com o mesmo contrabaixo que ele tocou durante o The Ed Sullivan Show. Este recente concerto, em sua integridade, ficou gravado no portal da PBS como parte da séries "In Performance at the White House", que inclui 90 minutos de música, entrevistas e matéria feita nos bastiores durante a comemoração.
Vem ao Brasil pela terceira vez para uma apresentação de três shows, no repertório clássico dos The Beatles e do Wings, o primeiro show foi em Porto Alegre no dia 7 de novembro de 2010, o primeiro de Paul na capital gaúcha, e mais dois shows em São Paulo nos dias: 21 e 22 de novembro de 2010. Paul diz que show em São Paulo foi um dos melhores da carreira. "Eu acho que o primeiro show em São Paulo, para 65 mil pessoas, foi incrível. Os brasileiros amam minha música, então nós amamos tocar para eles e foi uma apresentação fora de série. Foi um dos melhores shows de todos os tempos.


 Foi brilhante", disse Paul McCartney. 
Outro momento considerado maravilhoso pelo músico em 2010 foi o show realizado na Casa Branca. O ex-beatle afirmou que apesar de ter sido menor em comparação ao do Morumbi, foi um grande evento. "Foi menor, mas muito bom, por conta da presença de Obama e de outros convidados que estavam no show. Foi uma noite incrivel", afirmou. 
Em 2010, faixa de pedestres dos estúdios Abbey Road vira patrimônio inglês. 'É a cereja do bolo de um grande ano', disse o ex-Beatle Paul McCartney. 
Paul veio ao Brasil pela quarta vez, desta vez para duas apresentações no Rio de Janeiro no Estádio Engenhão. As apresentações ocorreram nos dias 22 e 23 de maio de 2011. No repertório do artista, clássico dos The Beatles, Wings e de sua carreira solo. O show foi marcado pelo refrão de Hey Jude, quando grande parte dos fãs levantaram placas escrito "na", formando uma cena espetacular de interação de McCartney com seus devotos fãs.

No dia 9 de fevereiro de 2012, Paul ganha a estrela da Calçada da Fama, sendo o último ex-Beatle a receber a homenagem.
Em 2012, Paul retorna ao Brasil, com a turnê ON THE RUN, apresentando-se no Estádio do Arruda (Recife) em 21 e 22 de abril, e no Estádio da Ressacada (Florianópolis) em 25 de abril.
Em julho de 2012 Paul McCartney cobrou apenas uma libra, cerca de 1,6 euros, para cantar na cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos Londres 2012. McCartney encerrou o espetáculo com um dos hinos dos Beatles, "Hey Jude" .


                                                           Outras atividades

                                                            Música clássica
Paul McCartney desenvolveu outros interesses fora o rock. Em 1991 lançou seu primeiro álbum de música clássica, o Liverpool Oratorio. O álbum foi composto em colaboração com Carl Davis para comemorar o 150 aniversário do The Royal Liverpool Philharmonic Orchestra. Em 1997 McCartney lançou seu segundo álbum clássico, o Standing Stone. Em 2000 lançou A Garland For Linda, um álbum em homenagem a Linda e que contou com composições não só de McCartney mas de outros nove compositores contemporâneos. Em 2006 foi a vez do lançamento de Ecce Cor Meum.

Música eletrônica
Em 1995, McCartney gravou uma série de programas de rádio chamado Oobu Joobu que acabou gerando um série de álbuns bootlegs. Na década de 90, trabalhou em um projeto de música eletrônica com o baixista do Killing Joke, Youth, com pseudônimo de The Fireman lançando três álbuns, Strawberries Oceans Ships Forest (em 1993), Rushes (em 1998) e Electric Arguments (em 2008).
                                                                     Literatura
Em 1984, McCartney escreveu e produziu a animação Rupert and the Frog Song. Em 2001, lançou o livro Blackbird Singing com alguns poemas compostos de letras de suas canções. Em 2005, lançou o livro infantil High In The Clouds: An Urban Furry Tail.
                                                                           Ativismo
Paul e Linda McCartney se tornaram defensores da comida vegetariana e dos direitos dos animais, tendo até participado de um episódio da série "Os Simpsons" relacionado ao tema  . Em 1999, McCartney gastou 3 milhões de libras para garantir que a comida de Linda fosse isenta de modificações feitas pela engenharia genética. Após o casamento de McCartney com Heather Mills, ele passou a apoiar a campanha contra minas terrestres. Eles foram patronos da Adopt-A-Minefield.
paul mccartney wallpapers no24116
Negócios
Paul McCartney é um dos homens mais ricos da Inglaterra, seu patrimônio é avaliado em 670 milhões de libras. Em 1975, McCartney fundou a MPL Communications ("McCartney Productions Limited") que cuida de seus direitos autorais e também possui um catálogo de outros músicos entre eles Buddy Holly, Carl Perkins e Meredith Willson.  Em setembro de 2012 foi considerado o cantor mais rico do mundo, com uma fortuna estimada em 620 milhões de euros.
Paul McCartney Solo Wallpaper

                                                                    Vida pessoal
Namoro com Jane Asher
Paul McCartney foi o último beatle a se casar. Ele namorou por 5 anos a atriz Jane Asher, de quem acabou ficando noivo. Porém o noivado acabou em 1968. McCartney conheceu Jane quando os Beatles foram se apresentar no Royal Albert Hall em 1963.  Ela foi entrevistá-los para a BBC. Pouco tempo depois, os dois engataram um namoro.  Não demorou muito para Paul conhecer a família de Jane. O Pai de Jane era médico e ela tinha dois irmãos, Peter e Clare.  Paul acabou indo morar com os Asher o que durou três anos. Em 1965, McCartney comprou uma residência na 7 Cavendish Avenue por 40 mil libras.  Paul escreveu diversas canções inspirado em Jane como por exemplo "And I Love Her", "You Won't See Me", "I'm Looking Through You", "Honey Pie", e "All My Loving". 
Em 25 de dezembro de 1967 McCartney e Jane Asher anunciaram o noivado, logo após ela o acompanhou em uma viagem para a Índia. Ela terminaria o noivado pouco tempo depois, em 1968, após voltar de Bristol e encontrar McCartney na cama com outra mulher.


Paul McCartney e Jane Asher

Casamento com Linda Eastman
Em 1967, McCartney conheceu Linda Eastman, uma fotógrafa norte-americana, antes do fim de seu noivado com Jane Asher, em um clube noturno de Londres. Ela estava em Londres para tirar fotos de músicos ingleses ligados ao Swinging London. Após o rompimento de McCartney e Asher, ele se encontrou com Linda em Nova York na ocasião do anúncio do lançamento da Apple Corps. Não demorou muito para os dois começarem um relacionamento.
Em 12 de março de 1969, ele se casou com Linda e adotou a filha dela, Heather. Com Linda, McCartney teve três filhos: Mary (nascida em 1969), Stella (nascida em 1971) e James (nascido em 1977). Após a separação dos Beatles, Linda se tornou parte da carreira de McCartney. Fez parte da banda Wings, tocou piano em shows e discos solos de McCartney.
Em 1998 Linda morreu de câncer no seio em Tucson, Arizona. Na época houve rumores que sua morte foi eutanásia porém McCartney sempre negou isso.


Paul McCartney e  Linda Eastman

Atualmente, Paul McCartney tem seis netos frutos de seu casamento com Linda. Mary tem dois filhos (Arthur Alistair Donald nascido em 3 de abril de 1999 e Elliot Donald nascido em 1 de agosto de 2002) e Stella tem dois filhos (Miller Alasdhair James Willis nascido em 25 de fevereiro de 2005 e Beckett, de 2 anos)  e duas filhas (Bailey Linda Olwyn Willis nascida em 8 de dezembro de 2006 e Reiley, nascida 30 de novembro de 2010).


Paul McCartney e  Linda Eastman

Casamento com Heather Mills
Em 11 de junho de 2002 Paul se casou com a modelo Heather Mills, na catedral protestante "Saint Salvator," do Castelo Leslie, construída no Século XVII, uma propriedade remota na Irlanda, com uma recepção para 300 convidados. E, como manda o figurino, Heather fez seus convidados esperar pela sua chegada.  Mas tudo indica que valeu a pena os convidados terem esperado pela noiva, pois foi considerado o nº 2 entre os casamentos mais extravagantes, de acordo com a revista "People Magazine", com um custo de $3,2 milhões de dólares. A festa contou com algumas das mais famosas celebridades do cenário da música pop internacional, como: Elton John, David Gilmour, Eric Clapton, Ringo Starr, George Martin, Jools Holland, Tim Rice, Chrissie Hynde, entre outras




Paul McCartney eHeather Mills

 Em 2003 nasceu a primeira e única filha do casal, Beatrice. Em 17 de maio de 2006, sitios na internet anunciaram a separação do casal. Houve diversas sugestões, em especial de fãs e simpatizantes de Paul McCartney, de que Heather só buscava o dinheiro por trás do casamento dela com Paul, e o jornal inglês "Evening Standard" chegou a publicar, em 18 de maio de 2006, uma matéria que buscava entender a separação do casal e também esclarecendo que aquela não seria uma boa hora para uma piada de mal gosto sobre a versão de "When I'm Sixty-Four", dada a ironia de que, no mês seguinte à matéria do Standard, Paul faria 64 anos; e apesar de Paul perguntar, na canção, se "ela" ainda o amaria, a verdadeira resposta para a pergunta que Paul faz na canção era a mais triste de todas.  Contudo, apesar de todas as sugestões de fãs e algumas especulações de críticos de que Heather estava "buscando o pote de ouro," tudo não passava de especulação e boatos, pois o simpático e educado ex-Beatle rebateu no mesmo dia, no seu portal da Internet, as sugestões de que ela, Heather Mills McCartney, só tinha se casado com ele "por dinheiro" e chamou-a de uma "pessoa generosa.


Paul McCartney eHeather Mills

No mesmo dia, em entrevista para o Evening Standard, Heather respondeu às acusações de ter se casado por dinheiro alegando não ser uma golpista. Em publicação do jornal inglês The Sun foram reveladas fotos indicando que Heather teria trabalhado em um filme pornô.  No entanto, após a notícia ter chegado aos jornais e televisão, os advogados de Heather se pronunciaram alegando que as fotos tinham sido tiradas mais de 20 anos antes da data da tal publicação no jornal e que não foram fotos para filme pornô algum, ou tampouco livro pornô como o jornal publicara inicialmente, mas fotos para uma publicação escolar sobre educação sexual. 
Em 2007 eles fizeram um acordo. A imprensa anunciou que McCartney teria pago 32 milhões de libras pelo divórcio. No entanto a batalha judicial chegou ao fim em 17 de março de 2008, quando um juiz britânico decidiu que McCartney deveria pagar à ex-mulher a quantia de 24,3 milhões de libras (equivalentes a 48,6 milhões de dólares).  Segundo o tablóide Daily Mail, o músico chegou a oferecer a Mills a soma de 55 milhões de libras esterlinas (110 milhões de dólares) para evitar que sua filha Béatrice, de quatro anos, fosse motivo de uma longa batalha judicial.


Casamento com Nancy Shevell

Casamento com Nancy Shevell
Em 9 de Outubro de 2011, Paul se casou com a empresária americana Nancy Shevell . Stella, filha de McCartney com Linda Eastman, a sua primeira mulher, desenhou o vestido da noiva.
                                                      Envolvimento com drogas
Em fevereiro de 2012, a quatro meses de completar 70 anos de idade, em entrevista à edição americana da revista Rolling Stone, Paul McCartney afirmou que iria parar de fumar maconha por causa de sua filha com Heather Mills, Beatrice, então com 8 anos de idade: 
Já fumei o suficiente.
Quando você está cuidando da criação de um jovem, seu senso de responsabilidade aparece, se você tiver sorte, em algum momento.
(...) Já chega — você não vê mais necessidade.

Discografia


Álbuns de estúdio
McCartney (1970)
Ram (1971)
McCartney II (1980)
Tug Of War (1982)
Pipes Of Peace (1983)
Press To Play (1986)
CHOBA B CCCP (1988)
Flowers In The Dirt (1989)
Off The Ground (1993)
Flaming Pie (1997)
Run Devil Run (1999)
Driving Rain (2001)
Chaos and Creation in the Backyard (2005)
Memory Almost Full (2007)
Kisses on the Bottom (2012)
Álbuns experimentais
Thrillington (1977)
Liverpool Sound Collage (2000)
Twin Freaks (2005)

Com os Wings
Wild Life (1971)
Red Rose Speedway (1973)
Band on the Run (1973)
Venus and Mars (1975)
Wings At The Speed Of Sound (1976)
London Town (1978)
Back To The Egg (1979)
Wingspan: Hits and History (2001)


com o The Fireman
Strawberries, Oceans, Ships, Forest (1993)
Rushes (1998)
Electric Arguments (2008)
Álbuns ao vivo
Wings Over America (1977)
Tripping The Live Fantastic (1990)
Tripping The Live Fantastic - Highlights! (1990)
Unplugged (The Official Bootleg) (1991)
Paul is Live! (1993)
Back in the US (2002)
Back in the World (2003)
Amoeba's Secret" (2007)
Good Evening New York City (2009)
Paul McCartney Live in Los Angeles" (2010)



Coletâneas
Wings Greatest (1978)
All the Best! (1987)
Wingspan: Hits and History (2001)
                                                    



                                                           
 
Álbuns de música clássica
Liverpool Oratorio (1991)
Standing Stone (1997)
Working Classical (1999)
Ecce Cor Meum (2006)
Ocean's Kingdom (2011)
Filmes

Somente Paul McCartney
Give My Regards to Broad Street (1983)
Put It There
Get Back (1990)(show)
Paul is Live (1993)(show)
Liverpool Oratorio (show)
Standing Stone (show)
Live at Cavern Club (1999)(show)
Back in The U.S. (2002)(show)
Live in Red Square (2003) (show)
The Space Within US (2006)(show)
The McCartney Years (2007) (Documentário; cenas nos bastidores; videos e shows)
Good Evening New York City (2009) (show)
Com o Beatles:
A Hard Day's Night (1964)(filme)
Help! (1965)(filme)
Magical Mystery Tour (1967)(filme)



     Yellow Submarine (1965)(voz)
Let it Be (1969)(filme)(ganhou o Oscar de Melhor Canção Original)
Com o Wings:
Rockshow (1976)(show)
Wingspan: Hits and History (documentário)
Participações em espetáculos:
Music for Montserrat
Knebworth
Paul McCartney and Friends
The PETA Concert for Party Animals
Concert for NYC
Party at The Palace
Saturday Night Live, Vol4
Concert for George
Live 8 Em 2005
Live Aid Em 1985