Marcadores

sexta-feira, agosto 24, 2012

Fernando Gonsales (QUADRINHOS)


     Fernando Gonsales

Fernando Gonsales é um cartunista brasileiro, cujo principal personagem é o rato Níquel Náusea – nome que também intitulada a tira de jornal em que aparece. Nascido em 3 de fevereiro de 1961, na cidade de São Paulo, formou-se em Veterinária, na turma de 1983 da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP e em Biologia, na turma de 1998/1999 do Instituto de Biociências da mesma universidade. Graças a essa formação, muitas vezes insere informações científicas em quadrinhos que retratam de forma divertida características de animais – com personagens que vão de protozoários a dinossauros. Esse tipo de quadrinho, com personagens “soltos”, são alternados com as tiras de personagens fixos, entre os quais a barata Fliti, a rata Gatinha o rato Ruter – além do próprio Níquel Náusea. Suas tiras foram publicadas inicialmente em 1985, quando ganhou um concurso promovido pelo jornal Folha de São Paulo. Desde então as tiras continuam a ser publicadas neste veículo há mais de 20 anos. Vários outros jornais também passam ou já passaram suas tiras, entre os quais Zero Hora (Porto Alegre - RS), Correio Brasiliense (Brasília - DF), e Diário do Comércio (Belo Horizonte - MG) sendo que, em média, 12 jornais no Brasil as publicam com regularidade, um jornal no exterior – o Diário de Notícias, de Portugal, e a revista mensal inglesa Jungle Drums.  

Antes de se lançar profissionalmente como cartunista, realizou seu único trabalho como médico veterinário: a captação e tratamento de animais de uma região da floresta amazônica que foi inundada para implantação da Usina Hidrelétrica de Tucuruí, no Pará. Mas faz críticas a ação desenvolvida neste projeto, que segundo ele não trouxe reais benefícios para os animais. Na faculdade, criou cartazes para o centro acadêmico e fez uma prova sobre parasitologia toda em quadrinhos – formato que não agradou o professor, mas que foi obrigado a aceitá-lo porque as informações contidas nele estavam corretas. Além dos quadrinhos, Fernando Gonsales também faz ilustrações para livros, matérias de revistas e para publicidade

Em 2005 colaborou com a linha de sandálias “Havainas Cartunistas” criando um desenho com o tema Amazônia, ao lado de outros quatro cartunistas brasileiros, que trabalharam em cima de outros “temas nacionais”. Fora da esfera do desenho, criou roteiros para o extinto programa de televisão TV Colosso, da emissora Rede Globo. Seu processo criativo consiste em pensar no contexto, desenhar a lápis e depois passar o nanquim. Após ser “escaneada”, a imagem é colorida no computador – esta última etapa costuma ser realizada por sua companheira, Marília Di Láscio, que foi uma colega de faculdade de veterinária. Ele não tem filhos e nem animais de estimação - mas conta que na infância, além de bichinhos como gafanhoto, aranha, rã e hamster, criou uma pulga, a qual alimentava com seu próprio sangue, encostando o vidrinho que a continha na barriga.

Fernando GONSALES teve seus quadrinhos compilados no livro Os Ratos Também Choram pela editora Bookmakers em parceria com a Cybercomix em 1999, e pela Editora Devir nos livros:
Com Mil Demônios (2002 – ISBN 8575320297)
Botando os Bofes pra Fora (2002 – ISBN 8575320491)
Nem Tudo que Balança Cai (2003 – ISBN 8575320866)
Vá Pentear Macacos (2004 – ISBN 8575321129)
A Perereca da Vizinha (2005 – ISBN 857532201X)
Manteve por um período de 10 anos a revista Níquel Náusea, de periodicidade irregular - entre 1986 e 1996, foram publicadas 29 edições. Ao final de 2005, seu acervo já contava com mais de 5000 tiras. Novas tirinhas podem ser vistas diariamente em seu site.
                                                                              Prêmios

Fernando GONSALES ganhou por 2 vezes o Prêmio Angelo Agostini, mantido pela AQC-ESP, um de melhor roteirista e outro de melhor desenhista, e por 14 vezes o Troféu HQ Mix, entre 1989 e 2004, nas seguintes categorias:
Melhor tira nacional de quadrinhos em 1989, 1990, 1991, 1993, 1994, 1996, 2001, 2003
Personagem destaque do ano para Níquel Náusea em 1998
Melhor revista de humor - Níquel Náusea em 1992
Melhor álbum de humor - Níquel Náusea em 1999 e Com mil demônios em 2002
Melhor publicação de livro de tiras - Nem tudo que balança cai em 2003 e Vá pentear macacos em 2004