Marcadores

sexta-feira, junho 22, 2012

ZAGALLO BIOGRAFIA


ZAGALLO O UNICO PENTA DO MUNDO ESTEVE LIGADO A TODAS AS VITORIAS DO BRASIL

        Mário Zagallo

Mário Jorge Lobo Zagallo (Maceió, 9 de agosto de 1931) é um ex-futebolista e treinador brasileiro.
Atleta
Atuando como ponta-esquerda, conquistou títulos de campeão carioca e foi convocado para a seleção brasileira, que disputaria a Copa do Mundo em 1958, na Suécia. Era o armador pela esquerda, o desafogo da defesa, o idealizador do contra ataque, o ajudante no lateral, o formiguinha do time campeão do mundo. Como jogador foi tricampeão pelo Flamengo, bicampeão pelo Botafogo e bicampeão mundial pela seleção brasileira. No Botafogo participou da fase áurea do time, jogando ao lado de astros como Garrincha, Didi e Nilton Santos.
Seus títulos cariocas e a conquista da Taça Brasil o levaram a seleção brasileira de futebol. Com ele o Brasil inovou taticamente e jogou em 1958 no esquema 4-3-3, pois Zagallo era um ponta esquerda que recuava para ajudar no meio-de-campo. Nessa Copa e na seguinte (1962) deixou na reserva Pepe, grande astro do Santos e companheiro de Pelé.
 

Um dos maiores vencedores da história do futebol mundial e um dos nomes mais respeitados no esporte, Mário Jorge Lobo Zagallo, o Zagallo, hoje mora no Rio de Janeiro (RJ) e NÃO está aposentado. Ele espera por um convite para voltar a trabalhar com futebol.


Nascido no dia 9 de agosto de 1931, em Maceió (AL), Zagallo foi criado no Rio de Janeiro e começou a carreira jogando na ponta-esquerda do América, em 1950.

Considerado moderno para o seu tempo, já que era um ponta que ajudava bastante o meio-de-campo, Zagallo começou a fazer sucesso com a camisa do Flamengo, clube que defendeu entre os anos 1951 e 1958.

Depois do Fla, o dublê de ponta e meio-campista foi defender o Botafogo, que tinha ainda outras feras como Garrincha, Didi, Nílton Santos e companhia.

Mesmo tendo grande concorrência, entre eles Pepe, do Santos, e Canhoteiro, do São Paulo, Zagallo venceu a briga pela ponta-esquerda também na seleção brasileira. Ele foi o titular nas vitoriosas campanhas dos mundiais de 1958 e 1962.

Outros títulos conquistados por Zagallo como jogador foram os cariocas de 1953, 54 e 55, os três pelo Flamengo, e de 1961 e 1962, ambos pelo Botafogo.

Como treinador, Zagallo também seguiu vencendo. Comandou a inesquecível seleção brasileira de 70, vitoriosa na Copa do Mundo do México. Ainda dirigiu o time canarinho na Copa de 74, quando o time brasileiro foi eliminado pela Holanda, de Cruijff, na semifinal.

Ultrapassado para alguns, pé-quente e competente para outros, Zagallo retornou a trabalhar pela seleção brasileira na década de 90. Ao lado de Parreira, o técnico, Zagallo, como coordenador, levantou mais um caneco: campeão da Copa de 94, nos Estados Unidos.


O orgulho de Zagallo sempre foi ter participado dos quatro mundiais vencidos pelo Brasil e por pouco ele não foi não pentacampeão. Como técnico, mais uma vez, ele dirigiu o time vice-campeão na Copa do Mundo da França, em 98.

Idolo de  grandes técnicos

Além de Parreira, seu companheiro nos mundiais de 1970, 1994 e 2002, Zagallo serve como inspiração para outro treinador de ponta do futebol brasileiro: Vanderlei Luxemburgo. "O Zagallo foi disparado o melhor treinador que eu vi. Em seguida, vem o Ênio Andrade", comenta Luxemburgo.

Em 09 de abril de 2011, foi anunciado como embaixador das categorias de base do Botafogo-RJ.



Biografia do Mito  site uol educaçao

Com fama de pão-duro e supersticioso, Zagalo cerca-se de amuletos e manias, incluindo uma fixação pelo número 13. Como jogador, além de ter sido tricampeão pelo Flamengo (1953/54/55), foi bicampeão pelo Botafogo (1961/62) e bicampeão mundial pela seleção brasileira, nas Copas de 1958 e 1962.

Como treinador conquistou a Copa do México, em 1970, o Campeonato Carioca de 1972 pelo Flamengo e o bicampeonato pelo Botafogo (1967/68).

Conquistou o tetra campeonato em 1994, como coordenador técnico. Zagalo foi o recordista no comando da seleção, com 102 jogos, nos quais obteve 74 vitórias, 23 empates e cinco derrotas.

Mário Jorge Lobo Zagalo nasceu em Maceió, Alagoas e mudou-se para o Rio de Janeiro aos oito meses de idade. Em 1943 entrou para o América como sócio contribuinte. O primeiro título foi o 1o Campeonato Brasileiro de Amadores, em 1949, defendendo a Seleção Carioca. No início da década de 50, transferiu-se para o Flamengo, conquistando o tricampeonato numa linha de ataque que contava também com Joel, Moacir, Índio e Dida.

Zagalo foi o primeiro jogador do país com passe livre, numa época em que a relação dos atletas com os clubes era de extrema dependência. Excelente jogador, foi convocado para a seleção brasileira que disputaria a Copa do Mundo em 1958, na Suécia. Às vésperas do embarque, ele foi escalado para enfrentar o Paraguai no Maracanã. O Brasil venceu por 4x1 com dois gols seus.

Na Copa na Suécia, Zagalo era o ponta-esquerda, a "formiguinha do time", que voltava para ajudar o meio-campo. Depois da consagração na Copa de 58, ele se transferiu para o Botafogo, onde ganhava mais do que Garrincha. Participou da Copa de 1962, no Chile. Ao voltar, Zagalo se machucou e pediu para jogar nos aspirantes enquanto se recuperava. Quando parou de jogar, em 1965, aos 34 anos, dirigiu o juvenil do Botafogo, passando depois pelo Flamengo, Fluminense, Vasco e Portuguesa de Desportos.


Como técnico, queria dirigir a seleção brasileira e acabou convocado. Mas Zagalo não teve somente glórias. Em 1974, teve que amargar um quarto lugar na Copa da Alemanha. Voltou à seleção como coordenador-técnico, ao lado do treinador Carlos Parreira.

Também foi treinador nos Emirados Árabes e classificou essa seleção para o mundial na Itália em 1990. Zagalo e Parreira conquistaram o tetra em 1994.