Marcadores

sábado, junho 23, 2012

O QUE E UM BLOG?


 o que e blog

Um blog (português brasileiro) ou blogue (português europeu)  (contração do termo inglês Web log, diário da Web) é um site cuja estrutura permite a atualização rápida a partir de acréscimos dos chamados artigos, ou posts. Estes são, em geral, organizados de forma cronológica inversa, tendo como foco a temática proposta do blog, podendo ser escritos por um número variável de pessoas, de acordo com a política do blog.
Muitos blogs fornecem comentários ou notícias sobre um assunto em particular; outros funcionam mais como diários online. Um blog típico combina texto, imagens e links para outros blogs, páginas da Web e mídias relacionadas a seu tema. A capacidade de leitores deixarem comentários de forma a interagir com o autor e outros leitores é uma parte importante de muitos blogs.
Alguns sistemas de criação e edição de blogs são muito atrativos pelas facilidades que oferecem, disponibilizando ferramentas próprias que dispensam o conhecimento de HTML. A maioria dos blogs são primariamente textuais, embora uma parte seja focada em temas exclusivos como arte, fotografia, vídeos, música ou áudio, formando uma ampla rede de mídias sociais. Outro formato é o microblogging, que consiste em blogs com textos curtos.
Em dezembro de 2007, o motor de busca de blogs Technorati rastreou a existência de mais de 112 milhões de blogs.  Com o advento do videoblog, a palavra blog assumiu um significado ainda mais amplo, implicando qualquer tipo de mídia onde um indivíduo expresse sua opinião ou simplesmente discorra sobre um assunto qualquer.

  História

O termo weblog foi criado por Jorn Barger  em 17 de dezembro de 1997. A abreviação blog, por sua vez, foi criada por Peter Merholz, que, de brincadeira, desmembrou a palavra weblog para formar a frase we blog ("nós blogamos") na barra lateral de seu blog Peterme.com, em abril ou maio de 1999.  Pouco depois, Evan Williams do Pyra Labs usou blog tanto como substantivo quanto verbo (to blog ou "blogar", significando "editar ou postar em um weblog"), aplicando a palavra blogger em conjunção com o serviço Blogger, da Pyra Labs, o que levou à popularização dos termos.[8]
Origens
Antes do formato blog se tornar amplamente conhecido, havia vários formatos de comunidades digitais como o Usenet, serviços comerciais online como o GEnie, BiX e Compuserve, além das listas de discussão e do Bulletim Board System (BBS). Em 1990, softwares de fóruns de discussão como o WebEx criaram os diálogos via threads.
O blog atual é uma evolução dos diários online, onde pessoas mantinham informações constantes sobre suas vidas pessoais. Estes primeiros blogs eram simplesmente componentes de sites, atualizados manualmente no próprio código da página. A evolução das ferramentas que facilitavam a produção e manutenção de artigos postados em ordem cronológica facilitaram o processo de publicação, ajudando em muito na popularização do formato. Isso levou ao aperfeiçoamento de ferramentas e hospedagem próprios para blogs.

    Popularização
A mensagem passou a modelar o meio, quando no início de 2000, o Blogger introduziu uma inovação – o permalink, conhecido em português como ligação permanente ou apontador permanente – que transformaria o perfil dos blogs. Os permalinks garantiam a cada publicação num blog uma localização permanente - uma URL – que poderia ser referenciada. Anteriormente, a recuperação em arquivos de blogs só era garantida através da navegação livre (ou cronológica). O permalink permitia então que os blogueiros pudessem referenciar publicações específicas em qualquer blog.
Em seguida, hackers criaram programas de comentários aplicáveis aos sistemas de publicação de blogs que ainda não ofereciam tal capacidade. O processo de se comentar em blogs significou uma democratização da publicação, consequentemente reduzindo as barreiras para que leitores se tornassem escritores.
A blogosfera, termo que representa o mundo dos blogs, ou os blogs como uma comunidade ou rede social, cresceu em ritmo espantoso. Em 1999 o número de blogs era estimado em menos de 50; no final de 2000, a estimativa era de poucos milhares. Menos de três anos depois, os números saltaram para algo em torno de 2,5 a 4 milhões. Atualmente existem cerca de 112 milhões de blogs e cerca de 120 mil são criados diariamente, de acordo com o estudo State of Blogosphere.
Tipos



Existem diversos tipos de blogs atualmente. Entretanto é possível dividi-los em três grandes ramos:
Blogs pessoais
Os blogs pessoais são os mais populares, normalmente são usados como um gênero de diário com postagens voltadas para os acontecimentos da vida e as opiniões do usuário. Também são largamente utilizados por celebridades que buscam manter um canal de comunicação com seus fãs. Exemplos disso são os blogs de Marcelo Tas e Ivete Sangalo.
Blogs corporativos e organizacionais
Muitas empresas vêm utilizando blogs como ferramentas de divulgação e contato com clientes . A empresa líder em blogs pelo mundo é a Microsoft com um total de 4500 blogs.
Blogs de gênero
Por fim há blogs com um gênero específico, que tratam de um assunto dominado pelo o usuário, ou grupo de usuários. Estes são os blogs com o maior número de acessos. Sendo que eles podem apresentar conteúdos variados, como humorísticos, notícias, informativos ou o de variedades, com contos, opiniões políticas e poesias.
                                             
     Componentes do blog


                     Blogger

Blogueiro (português brasileiro) ou bloguista (português europeu) ou ainda blóguer ou blogger são palavras utilizadas para designar aquele que escreve em blogues. O universo dos blogueiros (a soma de tudo o que está relacionado a este grupo e este grupo em si) é conhecido como blogosfera.
No dia 31 de agosto, comemora-se o Dia do Blog (português brasileiro) ou Dia do Blogue (português europeu) (devido a semelhança da data 31.08 com a palavra blog), que se propõe a promover a descoberta de novos blogues e de novos blogueiros (português brasileiro) ou bloguistas (português europeu) .
Artigos
Conhecidos também como post, a forma substantiva anglófona do verbo "postar", refere-se a uma entrada de texto efetuada num weblog/blog. As postagens são organizadas tradicionalmente de forma cronologicamente inversa na página, de forma que as informações mais atualizadas aparecem primeiro, ou colocada ao contrário, a postagem mais antiga aparece em primeiro, sendo opção do blogueiro.
Um artigo deve seguir a temática proposta pelo blog e, embora permita uma enorme liberdade opinativa, seu conteúdo está sujeito às mesmas regras legais de outras fontes, de modo que seu autor pode vir a ser responsabilizado juridicamente por aquilo que escreve.
Atualmente, a maioria dos blogs é compatível com o recurso de inserção de imagens, vídeos, áudio nos artigos.
Comentários
Um recurso característico dos blogs é a possibilidade de interação do visitante, respondendo ou opinando em relação aos artigos publicados.

ALGUNS LUGARES PARA CRIAR  BLOG



http://www.uolhost.com.br/crie-seu-blog.html?psid=1#rmcl
http://blog.clickgratis.com.br/main.php
http://pt-br.wordpress.com/#!/read/following/
Blogger.comhttp://www.blogger.com Site que fornece os endereços http://nomedoblog.blogspot.com é gratuito mas o usuário precisa ter conta em outro servidor para hospedar as imagens que vai utilizar. Cadastro em português e demais funções em inglês.
Blighttp://www.blig.com.br Serviço gratuito mas é necessário cadastrar-se no portal IG. Não é possível utilizar outros templates além dos oferecidos pelo site. Limite de espaço 1Mb de espaço para envio de arquivos. Só é possível realizar um post por dia e, cada post, pode ter apenas 3 comentários, também, por dia.
Blog – Uolhttp://blog.uol.com.br O usuário recebe um endereço no seguinte formato http://nomedoblog.zip.net. Gratuito, é necessário apenas se cadastrar como visitante (assinantes Uol tem maior espaço de armazenamento e outras vantagens) e aguardar a chave de ativação por e-mail (cuidado com o registro do e-mail, ele precisa ser válido).
Big Bloggerhttp://www.bigblogger.com.br Gratuito. Possui postagem por e-mail, número ilimitado de posts por dia, mural de recados, estatística de acesso, humor do dia, perfil, enquete, proteção do blog por senha, controle dos comentários, etc.
Via Bloghttp://www.viablog.com.br Gratuito. 1Mb de espaço de armazenamento. Podem ser enviadas imagens para o banco de imagens e podem ser usados templates de outros sites. Não dispõe de editor de humor, editor de links, nem nenhuma outra funcionalidade (tudo precisa ser editado no código) com exceção dos comentários que são inseridos automaticamente. Interface de envio de post é simples de usar.
Sapo.pthttp://blogs.sapo.pt Site gratuito de Portugal. O cadastro é obtido através de inscrição que dá direito a um e-mail no Sapo.pt e a um passaporte (NetBI) que permite acesso a todos os serviços do portal. Há a possibilidade de ajustar o fuso-horário do site. É possível editar a ordem dos posts (crescente ou descendente), permitir o envio de comentários moderados ou não, editar o código do template, editar listas de email que receberão notificação quando o blog for atualizado.

Bloger do Brasilhttp://www.blogs.com.br Site gratuito. Oferece domínio. Tem uma boa orientação no menu.



   
Site

Um website ou site (saite, sítio eletrônico (português brasileiro) ou sítio, sítio eletrónico/web/da internet (português europeu)) é um conjunto de páginas web, isto é, de hipertextos acessíveis geralmente pelo protocolo HTTP na Internet. O conjunto de todos os sites públicos existentes compõe a World Wide Web. As páginas num site são organizadas a partir de um URL básico, ou sítio, onde fica a página principal, e geralmente residem no mesmo diretório de um servidor. As páginas são organizadas dentro do site numa hierarquia observável no URL, embora as hiperligações entre elas controlem o modo como o leitor se apercebe da estrutura global, modo esse que pode ter pouco a ver com a estrutura hierárquica dos arquivos do site.
Alguns sites, ou partes de sites, exigem uma subscrição, com o pagamento de uma taxa, por exemplo, mensal, ou então apenas um registo gratuito. Os exemplos incluem muitos sites pornográficos, partes dos sites de notícias, sites que fornecem dados do mercado financeiro em tempo real e a Enciclopédia Britânica.

   Origem do nome

Quando a World Wide Web foi criada no CERN, ela recebeu esse nome de seu criador Tim Berners-Lee.  Ele comparou a sua criação com uma teia, "web" em inglês. Cada nó dessa teia é um local (virtual) onde há hipertextos. Como a palavra inglesa para local é site (também derivada do latim situs: "lugar, local"), quando as pessoas queriam se referir a um local da teia, elas falavam, web site. Assim um novo nome surgiu para designar esse novo conceito de nó onde há um conjunto de hipertextos: Web site.
Batizada desta forma, a Web e seus Web sites tornaram-se mundialmente famosos e seus nomes empregados em diversas línguas. Em inglês foi necessário usar o qualificativo Web antes de site, para diferenciar de outros usos que a palavra site tem nesta língua, onde significa local. Mas quando o contexto deixava claro que se estava falando da Web, dizia-se apenas "site". Já na língua portuguesa, esse qualificativo não é necessário em momento algum, pois a palavra site é um anglicismo novo em nosso vocabulário e tem o único e mesmo significado de Web site, embora a grafia induza a erro, pois pronuncia-se saite.

Nome em português
A palavra site em inglês tem exatamente o mesmo significado de sítio em português, pois ambas derivam do latim situs ("lugar demarcado, local, posição") e, primariamente, designa qualquer lugar ou local delimitado (sítio arquitetônico, sítio paisagístico, sítio histórico, entre outros). No português do Brasil, a palavra sítio designa, com maior frequência, uma propriedade rural de área modesta, frequentemente usada para lazer ou lavoura.
Porém, em inglês, surgiu o termo website (às vezes web site) para designar um sítio virtual, um conjunto de páginas virtualmente localizado em algum ponto da Web. Acontece que, com poucos anos de uso, o termo website ganhou a forma abreviada site, que passou a ser uma segunda acepção do termo original. Site, portanto, em inglês, passou a designar alternativamente um lugar real (no campo) ou virtual (na Web).
Em português, surgiram três vertentes para a tradução do conceito. A mais difundida em Portugal respeita a dualidade do termo original, e traduz site por sítio - ou, se o contexto não for suficiente para o entendimento, por sítio na Internet, sítio eletrónico, sítio na Web, sítio Web ou, ainda, websítio (exatamente como no inglês). A segunda vertente, mais comum no Brasil, adotou simplesmente o estrangeirismo site, sem alterações, para se referir aos sítios virtuais, mantendo sítio para os reais. A terceira vertente, que tem entre seus adeptos o escritor brasileiro Millôr Fernandes, é saite, que tem como vantagens a identificação imediata com a palavra usada em inglês e a dispensa da grafia em itálico.
A pronúncia de site, tanto em inglês quanto em português, é /saIt/ pelo sistema SAMPA.


     Visão geral

Um site normalmente é o trabalho de um único indivíduo, empresa ou organização, ou é dedicado a um tópico ou propósito em particular. É difícil dizer com clareza até onde vai um site dada a natureza de hipertexto da Web. Por exemplo, toda a Wikipédia forma um site, mas se as páginas Meta-Wikipédia são parte do mesmo site ou um site irmão, é uma questão aberta para debate.
Sites são escritos em, ou dinamicamente convertidos para HTML e acessados usando um software cliente chamado web browser ou navegador. Sites consistem de páginas HTML estáticas ou páginas criadas dinamicamente usando tecnologias como JSP, PHP ou ASP. Um site também requer um software conhecido como servidor web, como o Apache, o mais usado, ou o IIS. Frequentemente sites possuem também conteúdo armazenado em banco de dados (base de dados).
Plugins estão disponíveis para os browsers, o que os capacita a exibir objetos adicionais aos suportados nativamente. Exemplos incluem Flash, Shockwave, Silverlight e applets Java. O Dynamic HTML permite interatividade e modificação do conteúdo dentro da página sem precisar recarregar a página, usando principalmente o Document Object Model e JavaScript, suportado internamente pela maioria dos navegadores modernos.
Sites são restritos por limites de recursos (por exemplo, a largura de banda dedicada ao site). Sites muito grandes, como Yahoo!, Apple Inc. e Google, usam vários servidores e equipamentos de balanceamento de carga, como o Cisco Content Services Switch ou o F5 BigIP solutions.

    Propósitos dos Sites

Os sites da Internet, em geral, podem ter os seguintes propósitos:
Institucional: muitas empresas usam seus sites como ponto de contato entre uma instituição e seus clientes, fornecedores, etc. No caso de instituições comerciais, usam-se sites também para comércio eletrônico, recrutamento de funcionários etc. Instituições sem fins lucrativos também usam seus sites para divulgarem seus trabalhos, informarem a respeito de eventos etc. Há também o caso dos sites mantidos por profissionais liberais, para publicarem seus trabalhos.
Informações: veículos de comunicação como jornais, revistas e agências de notícias utilizam a Internet para veicular notícias, por meio de seus sites. Jornalistas freelancer e indivíduos comuns também publicam informações na Internet, por meio de blogs e podcasts.
Aplicações: existem sites cujo conteúdo consiste de ferramentas de automatização, produtividade e compartilhamento, substituindo aplicações de desktop. Podem ser processadores de texto, planilhas eletrônicas, editores de imagem, softwares de correio eletrônico, agendas, etc.
Armazenagem de informações: alguns sites funcionam como bancos de dados, que catalogam registros e permitem efetuar buscas, podendo incluir áudio, vídeo, imagens, softwares, mercadorias, ou mesmo outros sites. Alguns exemplos são os sites de busca, os catálogos na Internet, e os Wikis, que aceitam tanto leitura quanto escrita.
Comunitário: são os sites que servem para a comunicação de usuários com outros usuários da rede. Nesta categoria se encontram os chats, fóruns e sites de relacionamento.
Portais: são chamados de "portais" os sites que congregam conteúdos de diversos tipos entre os demais tipos, geralmente fornecidos por uma mesma empresa. Recebem esse nome por congregarem a grande maioria dos serviços da Internet num mesmo local.

          Instrumento de publicidade

O site é um dos instrumentos de publicidade mais eficientes que existem. Servem de apoio a campanhas de publicidade de outros meios de comunicação como o rádio, televisão, jornal, placas, folhetos, etc., podem constituir um empreendimento completo ou parcial prestando serviços, vendendo produtos ou simplesmente informando com custos reduzidos em relação ao negócio "não virtual".
É importante observar que os sites precisam estar referenciados em buscadores globais ou guia de busca local para que obtenham os desejados acessos. Sem eles, dificilmente um site seria acessado por novos usuários ou clientes.
Para relacionar um site em um buscador, o site precisa ter vários outros sites apontando para ele, a quantidade de ligações (links) apontando para um site e a importância dos sites que apontam para ele definem em que posição ele ficará no buscador.
Para divulgar um site e ter links em vários outros sites é comum o uso de mecanismos de troca de links. A troca de banners não servem para efeito de buscadores.



     Principais diferenças de site e blog

SITES


A “World Wide Web” (que significa “rede de alcance mundial” e também é conhecida como Web ou WWW) surgiu no final de 1990 por Tim Berners-Lee e Robert Cailliau. Juntos eles criaram um sistema de documentos em hipermídia que são interligados e executados na Internet. Os documentos podem estar na forma de texto, vídeos, sons, hipertextos e figuras.


Para visualizar a informação, pode-se usar um programa de computador chamado navegador (esse que você está usando agora para ler este post). Atualmente os navegadores de internet (em inglês conhecidos como browser – pronuncia-se “brausers”) mais conhecidos são:
Então o usuário pode seguir as hiperligações (hiperlinks) clicando nas palavras ou frases comumente sublinhadas e azuis (esse é o padrão, mas podem estar em outras cores).


O ato de seguir as hiperligações é chamado de “navegar” ou “surfar” na Web.


Visualizar uma página web, inicia-se ao digitar um endereço (ex: www.google.com.br) no navegador ou seguir (acessando) uma hiperligação de outro site.

Site
É o modelo tradicional de páginas web.
Normalmente tem a home page, um ponto inicial para outras páginas.
A comunicação com o leitor normalmente é feita via email.
Necessita-se de conhecimento mínimo em HTML.
A definição de conteúdo é trabalhosa, pois os clientes entendem que o site é algo muito formal. Em muitos casos definir textos para sites, por exemplo, é muito trabalhoso.
A atualização é feita em períodos longos.
Muitos sites parecem a CNN ou a BBC pelo grau de formalidade que tem.


                                                                                                                              Blog

      De acordo com pesquisadores da história da internet, o 1º blog surgiu em 1997, feito por Jorn Barger*. Ele foi o pioneiro ao criar um sistema onde uma pessoa poderia escrever tudo o que quisesse, com frequência e contendo espaço para comentários. Para esse sistema, deu o nome de Weblog. É claro que, como sempre, o termo oficial não “pegou” e as pessoas pronunciavam de formas variadas, até que um homem, Peter Merholz, achou interessante partir em duas palavras “we-blog” (nós “blogamos”) que logo foram encurtadas para uma só – BLOG.


A moda de fazer Blogs só começou mesmo em meados de 1999 e tratavam de assuntos variados. A maioria dos blogueiros criavam seus Blogs para servirem como “diários virtuais”. Outros criavam temas como humor, política, tecnologia e até portfólios profissionais.


A disseminação dos Blogs veio através de uma empresa que desenvolveu um sistema de publicação automática e mais simples de Blogs – a Blogger. Foi quando o Blog deixou de ser algo de conhecimento apenas de especialistas em internet para poder ser criado até por uma criança de 10 anos.


 

Em 2004, surgiu uma novidade no mundo dos Blogs, o feed, que nada mais é que uma ferramenta que lhe dá a oportunidade de “assinar” um blog, assim como se faz uma assinatura de revista ou jornal. Você se cadastra e passa a receber por e-mail as novidades escritas (postadas) no Blog.


Os Blogs rapidamente se tornaram um dos sistemas mais utilizados da internet. Em 1999 o número de blogs não passava de 50, já no ano de 2001 eram contabilizados milhares de blogs e em 2003 eles atingiram a assombrosa média de 3 milhões de blogs.
Atualmente muitas empresas se interessam por Blogs. Seja criando um para divulgar seus produtos, seja fazendo uma varredura nos Blogs alheios para saber as vontades e preferências de seus futuros consumidores para que assim possam desenvolver produtos cada vez mais ajustados.


Expressa a opinião do autor apenas, Não é uma CNN!
O conteúdo pode ser discutido (comentários), às vezes classificado. (por motivos particulares decidi não abrir meu blog para comentários).
A atualização é constante e em muitos casos diário (tenho um blog que foge desta regra, o http://www.evangelizacao.blog.br/ pois o seu conteúdo não muda e por isto cada post que é feito ali não perderá seu valor com o passar do tempo).
A linguagem adotada é mais light e menos formal.
O modelo estrutural também é diferente, no blog temos várias páginas empilhadas, podendo navegar entre elas sem precisar ficar voltando.
Completando o item anterior, no site o modelo de navegação e vai e volta, no blog e próximo, próximo, etc.
O conteúdo pode ser classificado por categoria, data ou tags.
Cada página ou assunto é chamado de "post" de postar.
Geralmente tem um foco muito bem definido, tem blogs sobre esportes, tecnologia, saúde, política, etc.
O autor do blog normalmente é identificado e conhecido, tornando mais humano a relação autor e leitor.
Não precisa de conhecimento de tecnologia para criar um blog, qualquer pessoa pode criar um com alguma facilidade, apesar de algumas situações requerem certo grau de conhecimento.


Microblogging(microblog)

Micro-blogging é uma forma de publicação de blog que permite aos usuários que façam atualizações breves de texto (geralmente com menos de 200 caracteres) e publicá-las para que sejam vistas publicamente ou apenas por um grupo restrito escolhido pelo usuário. Estes textos podem ser enviados por uma diversidade de meios tais como SMS, mensageiro instantâneo, e-mail, MP3 ou pela Web.
O serviço de micro-blogging mais popular chama-se Twitter lançado em 2006 e venceu o Web Award na categoria blog no South by Southwest Conference 2007 em Austin, Texas  No entanto, recentemente muitos novos serviços com a mesma finalidade foram lançados, tais como o Pownce, que une micro-blogging e compartilhamento de arquivos. Também há serviços de micro-blogging locais voltados para determinadas nacionalidades, tais como o Frazer na França e na Alemanha, PlayTalk na Coreia do Sul, Fanfou na China e o TeLog  utilizado no Brasil.
As populares redes sociais Facebook, MySpace e Orkut também possuem recursos de micro-blogging, chamados status update (atualização do status).

SERVIÇOS DE MIROBLOG

A rede social e serviço de microblogging utilizando mensagens instantâneas, SMS ou de uma interface web.
Tumblr os tweets são chamados tumbledogs. Estes podem ser tumbledogs blogs curtos menos de 140 caracteres que podem ser links, citações, fotos, vídeos, música e diálogos.Qualquer um pode expressar-se livremente com estes tumbledogs no Tumblr.
Friendfeed é fearure rico site de microblogging, que recentemente adquirida pelo Facebook.
  É   fácil de configurar e usar, a única coisa que você precisa para começar é uma conta de e-mail de trabalho.